Policial civil é suspeito de ter matado a ex-namorada no Buritis


Um investigador da Polícia Civil é o principal suspeito de ter matado a ex-namorada dele na tarde desta segunda-feira (31). O crime ocorreu na avenida Mário Werneck, no bairro Buritis, na região Oeste da capital, por volta das 17h50, segundo militares do 5º Batalhão da Polícia Militar.
A mulher foi abordada pelo policial, de 38 anos, que atirou contra ela e fugiu em um Fiat Uno prata. A ex-namorada do investigador, de 30 anos, foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Oeste, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
O homem foi identificado, mas ainda não foi localizado. As motivações do crime serão investigadas pela Delegacia de Homicídio de Belo Horizonte. Peritos foram encaminhados para o local, segundo a Polícia Civil. 
A assessoria da Polícia Civil informou que aguarda o fechamento do boletim de ocorrência, para se pronunciar sobre o caso, já que principal suspeito é um membro da corporação.
Segundo informações da UPA Oeste o corpo da mulher continua no local, até às 18h55, ninguém da família dela compareceu a Unidade.
O corpo dela será encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML).
Problemas de saúde. O investigador da Polícia Civil tirou uma licença médica neste ano, de maio a agosto. O atestado que autorizou a licença para tratamento médico do investigador foi assinado pelo diretor geral do Hospital da Polícia Civil, Arnaldo Laboissiere Muzzi. Os motivos da licença médica não foram informados.Um investigador da Polícia Civil é o principal suspeito de ter matado a ex-namorada dele na tarde desta segunda-feira (31). O crime ocorreu na avenida Mário Werneck, no bairro Buritis, na região Oeste da capital, por volta das 17h50, segundo militares do 5º Batalhão da Polícia Militar.
A mulher foi abordada pelo policial, de 38 anos, que atirou contra ela e fugiu em um Fiat Uno prata. A ex-namorada do investigador, de 30 anos, foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Oeste, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
O homem foi identificado, mas ainda não foi localizado. As motivações do crime serão investigadas pela Delegacia de Homicídio de Belo Horizonte. Peritos foram encaminhados para o local, segundo a Polícia Civil. 
A assessoria da Polícia Civil informou que aguarda o fechamento do boletim de ocorrência, para se pronunciar sobre o caso, já que principal suspeito é um membro da corporação.
Segundo informações da UPA Oeste o corpo da mulher continua no local, até às 18h55, ninguém da família dela compareceu a Unidade.
O corpo dela será encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML).
Problemas de saúde. O investigador da Polícia Civil tirou uma licença médica neste ano, de maio a agosto. O atestado que autorizou a licença para tratamento médico do investigador foi assinado pelo diretor geral do Hospital da Polícia Civil, Arnaldo Laboissiere Muzzi. Os motivos da licença médica não foram informados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!