Garoto de 15 anos matou filho de PM



Kleomarques (no detalhe) foi executado na porta de um bar desativado na Rua Maitaca. Ele recebeu disparos nas costas, tórax e braço esquerdo
IPATINGA – O assassinato do ajudante Kleomarques Soares de Souza, de 18 anos, está muito perto de ser elucidado pela Polícia Civil. Ele foi morto a tiros na tarde desta segunda-feira (2), na região do Vale do Sol, no Bairro Vila Celeste, em Ipatinga. Um menor de 15 anos confessou o crime ao delegado Ricardo Cesari, contando com frieza como efetuou os disparos contra a vítima e, ainda, revelou o nome do mandante do homicídio, que é procurado. Kleomarques era filho de um capitão aposentado da Polícia Militar. 
A morte do ajudante foi o primeiro assassinato de 2012 em Ipatinga. Ele foi executado a tiros nesta segunda-feira, por volta das 16h30, na Rua Maitaca. Kleomarques foi alvejado nas costas, tórax e braço esquerdo – num total de seis perfurações. Dois menores, um deles de 15 anos, e um homem maior de idade que estariam por trás do homicídio foram detidos pela Polícia Militar cerca de quatro horas depois do crime. Eles foram encaminhados para a 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil (1ª DRPC) e prestaram depoimento ao delegado Ricardo Cesari.

“Começamos a ouvir os suspeitos por volta de uma hora da manhã desta terça-feira e finalizamos às 9h. Ao final dos trabalhos pude constatar que o menor de 15 anos foi o executor dos disparos contra Kleomarques. Ele confessou detalhadamente e revelou até os mandantes do crime”, contou Cesari, que continuou: “O homem preso auxiliou esse adolescente. Ele foi autuado em flagrante e mandado para o Ceresp (Centro de Remanejamento de Presos). Já o outro menor, em princípio, não ficou demonstrado claramente a sua participação. Razão pela qual eu o liberei depois de ouvi-lo”. 

O adolescente de 15 anos que admitiu ter matado Kleomarques foi apresentado ao Ministério Público. “Ele está sendo encaminhado ao promotor de justiça com a minha sugestão de internação. Não temos dúvidas que esse menor foi o executor do assassinato. Ele confessou com riqueza de detalhes: falou quem seria o mandante através de uma história conexa, que tem liame”, afirmou o delegado, acrescentando que a delegada Irene Angélica Franco, titular da Delegacia Adjunta de Crimes contra a Vida (DAcCV) de Ipatinga, acompanhou os depoimentos durante a madrugada e deu seqüência às investigações durante toda esta terça-feira. 

Disputa por tráfico 
De acordo com o delegado Ricardo Cesari, a morte do ajudante pode ser mais uma ligada à disputa por pontos de tráfico de drogas. “São duas motivações que estão sendo ventiladas até o momento e a principal delas é essa da disputa por pontos de drogas. E a segunda seria uma vingança de um assassinato do integrante de uma quadrilha ocorrido há cerca de dois anos”, comentou Cesari, que ainda deu detalhes do depoimento do menor homicida. “O mandante do assassinato convidou o adolescente para executar a vítima. O menor aceitou e o maior que foi para o Ceresp monitorou Kleomarques durante toda a manhã e o viu em um ponto deserto do morro lá no Vale do Sol já durante a tarde. O homem chamou esse menor e emprestou a bicicleta para ele. O adolescente foi até o mandante novamente, se apoderou da arma de fogo e seguiu para o encontro da vítima, executando-a com quatro tiros à curta distância”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!