Indivíduos em moto atiram varias vezes contra casa e acertam cachorro


Itabira/MG - Uma rixa entre dois rapazes transformou a região do bairro João XXIII e Santa Ruth numa praça de guerra, com constantes disparos contra as casas dos parentes.
Na madrugada desta quinta-feira 19 de janeiro não foi diferente, sendo o segundo dia consecutivo em que a Policia Militar registra um boletim de ocorrência de disparos em via pública.
Por volta de 1hora da madrugada os moradores de uma casa situada na rua Humberto Campos, bairro João XXIII, foram acordados com disparos de arma de fogo atingindo as paredes da casa, onde todos ficaram extremamente assustados.
A PM foi chamada ao local, porém nenhum suspeito foi localizado; mesmo sendo feita abordagem em diversas pessoas nos bairros vizinhos.
A principio os tiros ou estilhaços teriam acertado uma das patas de um cachorro da família. Apesar do susto nenhum morador foi atingido. A perita técnica Cristina Martins esteve no local e recolheu sete capsúlas de calibre 38, uma de PT 380 e dois projéteis.
Caso anterior: Na ultima terça-feira dia 17 de janeiro, a PM já havia registrado boletim de ocorrência de disparos de arma de fogo na rua Humberto Campos, perto de uma distribuidora de materiais de construção. Uma vizinha que estava na sacada de casa percebeu dois suspeitos se aproximando de moto e um deles aparentemente carregava algum objeto na cintura.
Em seguida dois estampidos foram percebidos e vários adolescentes que estavam sentados na esquina de acesso com a rua-19 começaram a correr.
Os disparos teriam danificado o muro lateral, do lado esquerdo, da residência da dona de casa Silvana Santos da Silva, 41 anos. Como a moradora percebeu os suspeitos e já se desentendeu com eles, pelo fato de tê-los denunciado anteriormente por envolvimento em um crime, acredita-se que seja um destes o atirador.
A denunciante ainda revelou que os vizinhos já testemunharam o porte de armas de fogo da dupla, mas tem receio de denunciar. Os adolescentes que estavam no local não foram encontrados ou não quiseram prestar informações sobre o ocorrido. Os acusados poderiam ter envolvimento com a venda e uso de entorpecentes no local, de acordo com a denúncia.
Um suspeito, apontado como o auxiliar de serviços gerais R.S.R. de 19 anos foi encontrado pela PM, mas não autorizou que sua casa fosse revistada à procura de provas. Ele autorizou que os agentes fiscalizassem suas mãos, para saber se havia sinais de pólvora. Ele alegou que estava sendo perseguido pela vizinha e que não tem qualquer relação com os possíveis disparos.
O segundo envolvido, que teve apenas o apelido identificado “Tiai”, de idade desconhecida, foi visto por testemunhas saindo do local com uma moto antes da chegada da polícia. O muro supostamente alvejado estava repleto de orifícios, sendo impossível comprovar a existência dos tiros ou mesmo localizar capsúlas deflagradas na calçada próxima. O suspeito foi liberado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!