Militares suspeitos de matar jovem na véspera de Natal negam envolvimento no crime


Os dois policiais militares acusados de executar um jovem no bairro Lindeia, na região do Barreiro, em Belo Horizonte, prestaram depoimento sobre o crime nesta terça-feira (10),  na capital mineira. De acordo com a Polícia Civil, um dos militares foi ouvido na parte da manhã e outro nesta tarde (10). A dupla negou participação no homicídio.

Os policiais estão presos desde a última sexta-feira (6). Um deles está recolhido no 34º batalhão, no bairro Caiçara, região Noroeste da capital; e outro no 41º batalhão, na região do Barreiro.

De acordo com o delegado Hugo Arruda, responsável pelo inquérito, na próxima semana, provavelmente na segunda-feira (16), os suspeitos participarão de uma reconstituição do crime.
Relembre o caso
No dia 24 de dezembro, véspera de Natal, o jovem, ajudante de transportes de cargas, foi assassinado a tiros em casa. Parentes afirmam que a morte foi motivada por uma desavença com um dos policiais suspeitos. Já a PM, alega que os militares agiram em legítima defesa.
Segundo informações da assessoria de imprensa da Polícia Militar, a esposa do jovem prestou depoimento e confirmou que no dia do ocorrido o marido a fez de refém. Ele teria usado a mulher e o filho de 9 meses como escudo contra os PMs.

O caso é investigado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!