Deputado não descarta greves nas polícias de Minas e Rio Grande do Sul.


Minas Gerais e Rio Grande do Sul podem enfrentar greves de policiais em breve. Esse é o diagnóstico do deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), autor da Proposta de Emenda à Constituição que unifica o piso salarial de policiais civis, militares e bombeiros. Ele afirmou que os governos estaduais que mais se opõem à PEC são Bahia, Minas, Rio, São Paulo e Rio Grande do Sul, que têm expectativa de situações grevistas em breve.

Para o deputado, a aprovação da PEC 300 garantiria um clima de estabilidade às categorias e evitaria os conflitos com os governos estaduais. “O futuro da PEC 300 é igualar o salário oficial da Polícia Militar, Civil e bombeiros a R$ 3,5 mil. Atualmente, eles ganham em torno de R$ 2 mil”, explicou, em entrevista à Rádio Brasil.

O diretor de mobilização do Sindpol (Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais), Adilson Bispo, a insatisfação da categoria com uma possível não-aprovação da PEC 300 causaria manifestações no Estado.

Em 2011, cerca de 50% do efetivo da Polícia Civil paralisou atividades e só atendia a flagrantes. Em resposta, o Governo conseguiu a aprovação de um projeto que prevê aumentos escalonados de até 74% para a categoria em quatro anos.

O TEMPO/ notícia da caserna

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!