Sargento do GATE executado


Testemunha secreta conversou com deputado e disse que o militar foi executado

Vladimir Vilaça - TV Alterosa
01 de fevereiro de 2012 - Reviravolta no caso do policial militar morto a tiros por policiais civis na saída de um baile funk, em Esmeraldas, na Grande BH. O depoimento de uma testemunha à Comissão de Direitos Humanos da Assembléia de Minas pode mudar os rumos da investigação. 

Presidente Comissão Direitos Humanos, o deputado Durval Ângelo foi quem ouviu o depoimento da nova testemunha do caso, que não será identificada. Ele afirma que ela contou que o militar foi executado.

O que realmente aconteceu naquele dia 15 de janeiro ainda é um mistério. Os quatro policiais civis foram ouvidos pela corregedoria do órgão, o inquérito corre sob sigilo e é acompanhado pelo Ministério Público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!