Policiais e agentes penitenciários são investigados por tortura em Nanuque MG


Cinco policiais e seis agentes penitenciários são investigados suspeitos de promoverem tortura contra presos do Presídio Regional de Nanuque. De acordo com informações do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), vinte e duas testemunhas de acusação foram ouvidas em dois dias de audiência para a instrução e o julgamento do processo.


O Ministério Público (MP) pediu que os 11 réus fossem cautelarmente afastados de suas atividades, sem prejuízos dos vencimentos (pagamento salarial), até o final do processo e investigação.


Denúncia Segundo a denúncia MP, em 11 de setembro de 2011, os réus teriam submetido diversos detentos à tortura. Entre as condutas estão disparos com munição de borracha, lançamento de spray de pimenta e agressões, com chutes, murros e o uso de uma espécie de cacetete. Além de violência física e psicológica que teria começado enquanto os presos estavam dentro das celas ou no corredor que dá acesso à quadra de banho de sol.


O MP afirma que muitas vítimas foram espancadas quando estavam algemadas e de joelhos. As agressões teriam durado cerca de uma hora. E ainda, que a sessão de tortura teria tido início porque os policiais e agentes penitenciários queriam castigar os presos pelo início de um tumulto nas celas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!