PC derruba fraude no exame de legislação de CNH

DA REDAÇÃO - Quatro pessoas foram presas num esquema tentando fraudar a prova de legislação do DETRAN-MG em Manhuaçu. Um candidato reprovado 15 vezes, um especialista em provas, um agenciador e o dono da auto-escola foram detidos. A fraude no exame da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) custava 4.600 reais.
A delegada Dra. Adline Ribeiro foi quem coordenou as prisões. Ela conta que a Polícia Civil havia recebido denúncias sobre um esquema de fraude no exame de legislação. Apesar da história, o delegado Dr. Eustáquio Leite foi prudente e chamou um policial experiente para a conferência dos candidatos. “Ele solicitou ao policial Nat King Cole, que trabalha no setor de identificação, para verificar as carteiras de identidade dos candidatos. Nessa quarta-feira, 04, ele percebeu que a foto de um documento estava mal colada e não tinha as perfurações características da identidade”, detalha a delegada.
A partir da desconfiança, o policial colheu as impressões digitais. Vinícius Tadeu Souza estava na sala de provas fazendo o exame com a identidade de Salmo Henrique de Souza.
Com a fraude descoberta, Vinícius contou que foi contratado por uma pessoa em Belo Horizonte para vir a Manhuaçu para fazer o exame por 300 reais mais o dinheiro da passagem e alimentação. “Diante da informação, os policiais foram até a pessoa que constava na identidade como o real candidato, o Salmo, e ele confessou que iria pagar 4.600 reais”, detalha a Dra. Adline Ribeiro.
Segundo a delegada, Salmo falou que foi reprovado quinze vezes no exame de legislação em provas em Manhuaçu e Ipatinga. Ficou sabendo do esquema e procurou João Lúcio Filho que intermediou a negociação com o proprietário da Auto Escola Raça, Patrick Coelho Cerqueira.  “Solicitou a carteira de identidade original do Salmo, levou para a auto-escola e trocaram pela foto do Vinicíus. O rapaz deu o adiantamento de dois mil reais e pagaria o restante depois de aprovado”.  Salmo tenta ser aprovado no exame de legislação desde 2008.
Eles foram presos pelo uso de documento falso com concurso de pessoas, tendo em vista que cada um contribuiu para que a fraude se consumasse. “Eles ficarão presos e não cabe fiança até a decisão judicial”, afirmou a delegada.
Vinícius Tadeu afirmou que é especializado em provas do DETRAN-MG. Ele confirmou que tem apostilas com 1.200 questões e treina bastante justamente para fazer as provas no lugar de outras pessoas.
A delegada Dra. Adline Ribeiro informou que serão feitos levantamentos para checar se houve outras fraudes. Nesse caso, em específico, ela destacou a eficiência da Polícia Civil em apurar as notícias: “Havia denúncias e o delegado de trânsito Dr. Eustáquio Leite tomou as providências. É bom que as pessoas vejam que aqui não existem policiais que coadunam com esse tipo de conduta ilícita”.
Os envolvidos e nem o advogado quiseram dar declarações sobre o caso à reportagem.
Fonte: Portal Caparaó

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!