Testemunhas do crime supostamente cometido por cabo em Ribeirão das Neves serão acionadas pela polícia


Testemunhas do crime, supostamente cometido pelo cabo Marco Antônio Alves de Lima, serão acionadas para prestar depoimento na delegacia de homicídios de Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte, informou a Polícia Civil. Parentes das vítimas também devem ser ouvidos.

Segundo a polícia, o delegado responsável pelo caso ainda não pediu expedição de mandado para o cabo, pois quer obter informações suficientes para tal ação.

Na terça-feira, o cabo Marco Antônio Alves de Lima, lotado no 34º batalhão, se apresentou na delegacia. Como não havia sido expedido mandado de prisão preventiva ou temporária contra ele, foi liberado após depôr. Detalhes sobre o que foi dito ainda não foram divulgados.

O crime, que teria sido motivado por uma conta de telefone no valor de R$ 157, ocorreu dentro da casa da família, no bairro Granjas Primavera, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana da capital mineira. A filha mais velha do policial, uma jovem de 16 anos, também foi baleada, mas socorrida e encaminhada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Justinópolis. Devido à gravidade dos ferimentos, a garota teve que ser transferida para o Hospital Risoleta Tolentino Neves e passou por cirurgia na região abdominal. Ela não corre risco de morrer e permanece internada em estado estável.

Familiares contaram que o cabo era agressivo com a esposa e com as filhas. Apesar das afirmações, o policial nunca tinha sido denunciado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!