A IMPRENSA E SEU SENSACIONALISMO BARATO !!!!!






REPÓRTER EDUARDO COSTA: Uma viatura da polícia capotou e bateu em um poste 
quando os militares atendiam uma ocorrência na região norte de BELO HORIZONTE. Até ai 
tudo absolutamente normal. Desejar, não! Mas o carro de polícia, de ROTAM, bater em um 
poste, porque não? Faz parte do oficio e do perigo, igual cargo de jornalismo também. Agora o complicado foi o depois, a equipe da RECORD teve uma dificuldade daquelas para registrar o fato. Um dos policiais tentou desligar a câmera do nosso cinegrafista. 
REPÓRTER MARCOS PENA: Foi assim que a imprensa foi recebida por militares que 
atendiam a ocorrência. 
TENENTE RESENDE: Vocês vão aguardar lá atrás depois da faixa, beleza? 
REPÓRTER MARCOS PENA: Vamos aguardar, mas não tem ninguém para passar 
informação para a gente não? 
TENENTE RESENDE: Tem! TEN RESENDE sou eu, BATALHÃO ROTAM. 
REPÓRTER MARCOS PENA: Entendi, e o senhor não pode passar informação? 
POLICIAL NÃO IDENTIFICADO: A questão aqui é delicada demais, vocês não levam 
a mal não. 
REPÓRTER MARCOS PENA: A todo o momento os policias dificultavam o trabalho da 
equipe. 
TENENTE RESENDE: Vou te dar uma ordem, vem cá, duas testemunhas, vou te dar 
uma ordem legal. Aguardem lá, eu vou conversar com  você. Olha, TEN RESENDE do 
BATALHÃO ROTAM, eu só preciso que deixem liberar a via para poder passar. 
REPÓRTER MARCOS PENA: Eu só preciso saber onde a gente fica.  
TENENTE RESENDE: Fica lá trás, atrás da faixa, beleza? 
REPÓRTER MARCOS PENA: Agora que a imprensa chegou os policiais estão 
obrigando os moradores a sair aqui do local, é praticamente um quarteirão inteiro de 
isolamento, o que a gente não vê, não é comum isso acontecer. Esse é um caso atípico, não é comum isolar tanto a área assim e foi depois da chegada da imprensa que os moradores 
foram obrigados a sair. Então a gente vai aguardar. Não, espera aí, espera aí, não encosta a 
mão não, não encosta a mão não, agente vai ficar lá.  
TENENTE RESENDE: Eu estou pedindo com educação.  
REPÓRTER MARCOS PENA: A gente vai ficar aqui. 
TENENTE RESENDE: Eu solicitei com educação.  
REPÓRTER MARCOS PENA: A gente vai ficar aqui. 
REPÓRTER MARCOS PENA: Dentro da viatura tombada, policiais feridos, dois deles 
em estado grave. O veículo bateu no poste quando os militares atendiam uma ocorrência de 
assalto. A movimentação foi intensa na região, moradores e curiosos continuam aqui na 
calçada acompanhando o trabalho de resgate do SAMU dos BOMBEIROS. Eles se aglomeram 
aqui perto da unidade de salvamento do SAMU e lá dentro tem um POLICIAL MILITAR, que 
inclusive um outro rapaz aqui está impedindo a imagem, “é” ele não quer que a gente faça 
imagem, a gente, o nosso trabalho esta sendo bastante prejudicado aqui nesse local. O fato é 
que uma viatura do BATALHÃO ROTAM, esta virada, ali no poste, a gente observa estrutura 
ainda está comprometida e a informação que nós temos e que dentro da viatura havia um 
policial preso as ferragens em estado grave. O policial que já deve ter sido resgatado, mas a 
gente não pode confirmar essa informação, porque ninguém passa detalhes do quê está 
acontecendo aqui. 
O cordão de isolamento está exatamente nesse quarteirão, nessa esquina. Na verdade 
eles isolaram mais, isolaram quase a rua inteira. Já que o carro, a viatura da ROTAM está 
capotada lá do outro lado, daqui a gente não consegue ter uma visibilidade. Então agente não 
sabe qual é a intenção por trás disso, a gente observou, vocês viram aí na gravação, os 
policiais querendo desligar, desligar a câmera. A gente tem reclamação de morador aqui 
também. O quê esta acontecendo? 
CIDADÃO NÃO IDENTIFICADO 1: Os moradores  não tem condições de entrar dentro 
do bairro, porque aqui nós só temos um acesso. Então, isolou nosso acesso, sendo que a 
principal nossa é essa, e nós não temos como chegar, porque o acidente não foi nessa rua, foi 
numa rua transversal a essa rua de acesso, o bairro está cercado.  
REPÓRTER MARCOS PENA: Nós já vimos vários acidentes, não acontece uma área 
de isolamento tão grande como essa.  
  
CIDADÃO NÃO IDENTIFICADO 1: Mais isso não é cidadão comum, né amigo. Quando 
é cidadão comum isola só o carro dele e pronto. Agora empurrar o morador, tirou inclusive 
sujeito que mora no quarteirão. A imprensa foi empurrada, eu acho isso errado. Eu concordo 
que peça, agora sair empurrando mete mão no peito e na câmera, eu não concordo 
definitivamente.  
CIDADÃO NÃO IDENTIFICADO 2: Pela velocidade que eles “passou” não estava certo 
não. Porque pela velocidade que eles “passou” ali ele perdeu... mesmo assim, estava fazendo 
o serviço dele, indo atrás de pessoa que num é, mas a velocidade que eles “passou” num é 
certo, não.  
REPÓRTER MARCOS PENA: Colocava em risco também os moradores e crianças. 
CIDADÃO NÃO IDENTIFICADO 2: Todo mundo colocava em risco. 
CIDADÃO NÃO IDENTIFICADO 3: Eles passaram levantando poeira. Eles “tá” 
achando que é o dono da rua. 
REPÓRTER MARCOS PENA: Era perseguição mesmo? 
CIDADÃO NÃO IDENTIFICADO 3:  Não, não era perseguição. Eles passaram sem 
perseguição nenhuma. Não tinha carro nenhum na frente não, eles passaram normal. Eles 
passaram fazendo “zig-zag”. Eles “tá” achando que é dono da rua. Eles “tá” achando que tem 
o poder maior. 
REPÓRTER MARCOS PENA: A TV... como é que é? 
CIDADÃO NÃO IDENTIFICADO 3: Não tinha carro nenhum na frente dele. “Tá” 
pensando que é o dono do mundo? Num é. 
REPÓRTER MARCOS PENA: Nós vamos deixar claro que nós estamos aqui no local 
para registrar a ocorrência, registrar o que aconteceu, como a gente faz todos os dias, 
inclusive a polícia facilita muito o trabalho da imprensa, mas hoje, desta vez, os militares estão 
dificultando muito o nosso trabalho. A gente observou inclusive militares colocando a mão no 
nosso equipamento, tentando desligar a câmera e literalmente empurrando a imprensa. A 
gente não sabe qual que é exatamente o objetivo, mas a gente fica aqui no aguardo. A TV 
RECORD foi à primeira emissora a chegar, então por isso é a única que está sofrendo essa 
represália por parte dos policiais. As vítimas foram levadas para o hospital rapidamente. 
Depois de toda confusão, o tenente que queria proibir o trabalho da imprensa resolveu falar. 
TENENTE RESENDE: Na verdade, anterior ao acidente, veiculou uma informação na 
nossa rede de comunicações, a respeito de indivíduos praticando um assalto aqui nas 
imediações do bairro SÃO PAULO, dois indivíduos armados em uma motocicleta, prenderam 
fuga numa motocicleta. De imediato foram deslocadas duas viaturas do BATALHÃO ROTAM 
para fazer esse cerco para tentar abordá-los, e que na proximidade desse logradouro, 
enquanto a viatura deslocava com o giroflex e a sirene ligada, em prioridade, ela foi abalroada 
num veículo, veículo COROLLA que se encontra aqui próximo também. No momento que ela 
foi abalroada na parte mais traseira da viatura. O motorista perdeu o controle, essa viatura 
capotou, derrapou e veio colidir com o poste, a parte do teto da viatura.  
REPÓRTER MARCOS PENA: Mais com relação à forma com que tratou a equipe de 
reportagem.  
TENENTE RESENDE: Não, não.  
REPÓRTER MARCOS PENA: Você gostaria de falar isso sobre essa situação? 
TENENTE RESENDE: Não! Se for possível, cortar a imagem para mim por gentileza.  
REPÓRTER EDUARDO COSTA:  Ô TENENTE! Deixa eu falar uma coisa  
“pro” senhor. Eu já tive a sua idade, já comecei que nem o senhor “tá” começando e consigo 
compreender perfeitamente. Até o seu espírito de corporativismo, que é absolutamente 
humano, não é uma reprimenda seu TENENTE, é uma sugestão. Baixa a bola TENENTE, 
para sua carreira ser longa e bem sucedida. Cuida de socorrer o seu companheiro que foi 
vítima de acidente, que ninguém desejou, e deixa as pessoas, cada um, viver do jeito que tem 
que viver. Deixa o morador ir e vir na rua que é publica, e deixa o repórter trabalhar. Seu 
TENENTE, RICARDO VASCONCELLOS, hoje ele é da produção da RECORD. Na época ele 
era vídeo repórter, um CAPITÃO fez a mesma coisa que você fez, ele acaba de ganhar na 
justiça uma indenização. Quem vai pagar somos nós, porque o senhor jamais vai pagar, quem 
paga é o ESTADO. Pra quê sustentação, este monte de carro, este monte de gente, é só 
chamar o SAMU e socorrer as vítimas. Que nos todos estamos aqui torcendo para que todo 
mundo fique bem, alias, os quatro policias foram levados para o hospital JOÃO XXIII, dois 
deles em estado gravíssimo, os outros dois com ferimentos mais leves. Queira Deus que todos 
escapem. TENENTE! “Vamo” junto, vem tomar um café, esse dedo em rixa ai, TENENTE, ele 
não combina com ninguém, não combina com SOLDADO, não com combina com recruta, 
muito menos com repórter. TENENTE, ninguém “tá” com medo de vossa excelência, se for 
para ser parceiro, vamos. Não, ameaça não TENENTE.

 RECORD NÃO TEM, COMPETÊNCIA PARA DERRUBAR A GLOBO, AÍ SENSACIONALIZA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!