Estudantes varrem o Centro da cidade


IPATINGA – “Prefeito, safado, cansei de ser roubado”. “Ei! Você, aí, pede pra sair”. As frases foram ditas durante um ato público, realizado na manhã deste sábado (11), no Centro de Ipatinga. Os problemas sociais e políticos vividos pelos ipatinguenses ganharam as ruas em um manifesto que reuniu centenas de estudantes, contra o governo Robson Gomes (PPS). 
A concentração do movimento ocorreu em frente ao prédio da Prefeitura Municipal. Logo depois, com faixas, cartazes, cornetas e apitos, os estudantes saíram pelas ruas do Centro de Ipatinga. Entre as palavras de protesto, os jovens criticaram a atual administração, pediram o fim da corrupção e, com vassouras, pás e sacos plásticos, recolheram os lixos que havia pelas ruas.
O estudante de Direito, Rodrigo Gualberto, um dos organizadores do manifesto, explica que o ato público vai muito mais além das manifestações colocadas na internet. O objetivo é despertar a nova geração para os problemas da cidade. “Nós resolvemos incentivar os jovens a saírem da internet e botarem a cara na rua. O país que precisamos, a cidade que nós queremos, está principalmente na conscientização do jovem. Ele é o futuro. Se os corruptos estão aí hoje é porque os jovens naquela época não tiveram oportunidade de ouvir, e de expor a opinião”, disse o estudante. 

VARRIÇÃO
Pouco antes da concentração, os estudantes se depararam com funcionários varrendo o lixo em torno da Praça dos Três Poderes. Esta semana, a administração municipal contratou emergencialmente cem varredores de ruas. Para Rodrigo, a postura da administração foi consequência da divulgação do protesto estudantil. “Se for preciso fazer um manifesto para limpar a cidade, a gente vai fazer. Vamos para os bairros também. Mas eu penso que isso é uma obrigação do prefeito, não esperar chegar a esse ponto de deixar a gente varrer e recolher os lixos. Queremos que a população seja assistida, porque nós pagamos uma taxa de limpeza urbana e temos direito. O lixo perto da prefeitura é pequeno se comparado ao da cidade”, critica Rodrigo. 
CARAS PINTADAS
Com caras pintadas de preto, os alunos fizeram uma alusão ao “Movimento Estudantil dos Caras Pintadas”, que culminou no impeachment do presidente Fernando Collor, em 1992. “Esse movimento foi uma grande inspiração para nós, porque mudou a história do país. Muitos de nós somos frutos daqueles que pintaram a cara e lutaram pelos direitos. As caras pintadas de preto significam que a juventude não está satisfeita com a situação política da cidade. Depois que os jovens se movimentam, é difícil pará-los”, afirma o estudante, acrescentando que o movimento ficará de olho na próxima administração. “A gente já deixa esse recado: nós não vamos esperar que a próxima administração chegue no ponto que chegou”, conclui. 

POLÍTICA JOVEM
O protesto de ontem é consequência da criação de um grupo de discussão no Facebook, intitulado ‘Política Jovem’. A criadora do debate virtual Laila Petzold, estudante de Direito, explica que a ideia de criar a discussão na internet ocorreu há três semanas, quando a avó de um amigo não foi atendida pelo SAMU.
Após o episódio, Laila postou um texto abordando os problemas da educação, limpeza urbana e saúde do município, mas recebeu muitas críticas de pessoas que são contra a discussão política pelas redes sociais. Mas a manifestação contrária deu força para a aluna levar problemas da cidade para as ruas. “Eu fico lisonjeada com tanta adesão e saber que a juventude está preocupada com o futuro e que não quer só saber de festa e de farra”, diz Laila.
Apesar de ter criado o espaço para discussão de ideias, Laila enfatizou que o grupo não está aberto para debates partidários. A intenção dela é apenas fomentar consciência política. O grupo na rede social conta hoje com 600 pessoas. “Nós iremos fazer um debate entre os candidatos para a galera conhecer as propostas e tirar dúvidas. Queremos aproximar os candidatos”, explica. O grupo ‘Política Jovem’ irá propor quatro encontros com os candidatos a prefeito de Ipatinga. 

LIXO
Ao final da passeata, os alunos retornaram à frente do prédio da prefeitura onde depositaram inúmeras sacolas de lixo que foram recolhidas somente no Centro da cidade. Os estudantes encerraram o ato público cantando trechos do hino nacional.
“Se eu fosse ele, pedia para sair”
IPATINGA - Nas ruas, a população parece ter gostado do manifesto. Os alunos foram aplaudidos e chegaram a ganhar alguns adeptos durante a passeata. A dona de casa Adélia Aparecida Ferreira, 48 anos, disse que ficou a manhã toda esperando pelos estudantes, pois já sabia do manifesto. Ela aprovou a ideia. “Essa manifestação é essencial. Tinha que ter acontecido há mais tempo. Com a arrecadação que a administração tem e a cidade chegar a esse nível, é uma decadência”, disse a mulher. 
O aposentado Waldemar Duarte dos Santos, 64 anos, é morador de Ipatinga há 48 anos e disse não se lembrar de ver uma cidade tão suja como agora. Enquanto caminhava pela avenida João Valentim Pascoal e conversava com a reportagem do DIÁRIO POPULAR, o aposentado listou os problemas sociais vividos hoje. “É problema com as creches, o Olho Vivo que desligou, a cidade está toda suja. A saúde está uma vergonha. Aquele homem (o prefeito) tem que ter vergonha na cara. Se eu fosse ele, pedia para sair”, opina o aposentado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!