Operação conjunta das polícias sacode Fabriciano

DURANTE A AÇÃO, QUE PRENDEU UM ADOLESCENTE E DOIS SUSPEITOS, FORAM CUMPRIDOS VÁRIOS MANDADOS DE BUSCA E APREENSÃO, ASSIM COMO MANDADOS DE PRISÃO 

CORONEL FABRICIANO - Uma operação conjunta entre a Polícia Civil e a Polícia Militar, realizada nessa sexta-feira (14), culminou na apreensão de um adolescente e na prisão de duas pessoas. Foram cumpridos vários mandados de busca e apreensão, e também mandados de prisão, nos Bairros Frederico Ozanan, Judith Bhering, Manoel Maia e Pedreira, próximo ao Caladinho de Cima às margens da BR-381. 

AKR 

O Delegado Amauri Albuquerque da 8ª Delegacia da Polícia Civil, de Coronel Fabriciano, comandou a operação. “Estamos dando continuidade às operações desencadeadas em Coronel Fabriciano. São operações realizadas através de levantamentos da Polícia Civil e da Polícia Militar, e efetuadas pelas duas polícias em conjunto. Isso tem refletido em nossos índices com tendência de queda e será a tônica do nosso trabalho daqui pra frente. Também tivemos ajuda de policiais civis de João Monlevade, do Canil de Belo Horizonte, com a presença de quatro cachorros, e o apoio aéreo de um helicóptero da Polícia Militar”, relatou o delegado. 


Ameaças em foco
“Nosso foco foi o Bairro Frederico Ozanan, por causa de denúncias recebidas de que alguns elementos estavam realizando ameaças de morte aos moradores. Nós nos antecipamos para tirar essas pessoas de circulação. Tínhamos três mandados de prisão para cumprir nesta sexta-feira, além de alguns de busca e apreensão. Esse tipo de operação tem sido desencadeada sistematicamente. Não descartamos a chance de realizar mais operações a qualquer momento e, até o final do ano, essas operações serão rotineiras”, prometeu o delegado Amauri Albuquerque. 

AKR 

Investigadores Igor Flávio e Jardel Figueira, responsáveis pela prisão de Jomar Henrique Sousa Santos, de 20 anos
O major Márcio Geraldo Soares, comandante da Cia 178° de Coronel Fabriciano, disse que a operação é uma missão corriqueira.  “Fazemos isso constantemente e não tivemos nenhuma dificuldade. Realizamos um trabalho conjunto com a Polícia Civil, do planejamento até a execução. Foi um trabalho bem feito, com um resultado positivo. Dos alvos que havíamos elencado inicialmente conseguimos prender dois. Jomar Henrique de Souza é suspeito de homicídios e de tentativas de homicídio, havendo denúncias anônimas e denúncias de vítimas de tentativas de homicídio contra ele” disse o comandante da Cia 178° de Coronel Fabriciano. 


Suspeito de homicídio
Um dos indivíduos procurados nessa operação foi Jomar Henrique Sousa Santos, de 20 anos. Ele foi preso em virtude de um mandado e reponde a processos na comarca de Coronel Fabriciano. Jomar é apontado por moradores do Bairro Pedreira como autor de diversos homicídios e tentativas de homicídio, além de promover o tráfico de drogas. Ele foi preso durante a operação desta sexta-feira, em virtude de um mandado relacionado ao tráfico. 

AKR 

Daividson Bruno Chaves, de 26 anos
A polícia suspeita do envolvimento de Jomar na execução de Kemps Nascimento da Silva, de 28 anos, morto na madrugada do dia 20 de maio, na Rua Vereador Célio Valadares da Silva, no Bairro Caladinho de Cima, em Fabriciano. Segundo informações levantadas pela reportagem do “Jornal Vale do Aço” em meio aos moradores e usuários de drogas do Bairro Pedreira, Jomar teria matado Kemps por causa de uma divida de R$800. Após o homicídio a Polícia Militar realizou campanas no bairro, para tentar capturá-lo, mas ele não pode ser encontrado.

AKR 

Kemps Nascimento da Silva, de 28 anos, morto na madrugada do dia 20 de maio, no Bairro Caladinho de Cima
Durante a operação também foi preso Daividson Bruno Chaves, de 26 anos, na Rua Vênus, no Bairro Manoel Maia. Em sua residência foram encontrados vários chips de telefone celular de procedência suspeita, possivelmente produtos de furto. Ele é primo de Elizeu e Eliel Paulino de Jesus Costa, que estão presos no Presídio de Coronel Fabriciano acusados de homicídio e tráfico de drogas. 

Identidade do desaparecido 
Na casa de um adolescente de 17 anos foi encontrado um RG em nome de Marcelo Hubner Silva, de 22 anos, desaparecido desde o dia 13 de março de 2012. Marcelo foi detido pela Polícia Militar na madrugada do dia 13 e foi liberado pela manhã, depois de ser ouvido. Conforme a mãe dele, Marcelo fez contato por telefone, por volta das 07h30 da manhã, desaparecendo em seguida. 

De acordo com a polícia o menor não soube explicar o documento num primeiro momento. Depois ele disse que negociou o documento com o rapaz para produzir uma moto “Pokémon” (veículo comprado em um financiamento sem que as prestações sejam pagas). Ele disse que esse Marcelo lhe entregou o documento porque estava devendo dinheiro a traficantes de drogas. De acordo com o adolescente foram compradas três motocicletas usando documentos de Marcelo e de outras pessoas. A polícia tem elementos para acreditar que Marcelo está morto.

AKR 

Marcelo Hubner Silva, de 22 anos, desaparecido desde o dia 13 de março de 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!