Abordagem policial causa confusão em Ipatinga

A polícia é sempre culpada, Soldado está preso!

DURANTE UMA ABORDAGEM POLICIAL ROTINEIRA, UMA EQUIPE DE POLICIAIS MILITARES FOI CERCADA POR POPULARES QUE PROTESTAVAM CONTRA A AÇÃO. POR POUCO A CONTENDA NÃO TERMINOU EM TRAGÉDIA 


AKR 

Cleber Horraine Andrade, de 18 anos, e seu irmão Cleiton Horraine Gomes Andrade, de 21 anos, conhecido como Toso
IPATINGA - Por volta das 22h30 desta segunda-feira (29), uma grande confusão tomou conta da Rua Hortência, no Bairro Esperança. Durante uma abordagem policial rotineira, uma equipe de policiais militares foi cercada por populares que protestavam contra a ação. Por pouco a contenda não terminou em tragédia. 

De acordo com o boletim de ocorrência, durante patrulhamento de rotina pelo local o sargento Sales e soldado Alessandro avistaram um menor de idade e Cleber Horraine Andrade, de 18 anos, em atitude suspeita próximo a uma ponte. No ato da abordagem o menor, que possui diversas passagens pela polícia por crimes diversos, teria jogado alguma coisa dentro do córrego. Enquanto os militares realizavam as buscas pessoais, várias pessoas chegaram interferindo na abordagem, buscando arrebatar os garotos da custódia dos militares. 

Nesse momento o menor fugiu correndo enquanto uma mulher loira, identificada como Raiane, junto de seu amásio Cleiton Horraine Gomes Andrade, de 21 anos, popularmente conhecido como Toso, irmão de Cleber, teria investido contra os militares tentando tomar a arma do Soldado Alessandro. Ele teria atacado os militares com socos e chutes, sendo necessário usar técnicas de imobilização para contê-lo.  

Segundo relato dos militares, o soldado Alessandro acabou cercado por várias pessoas, tendo sua algema tirada do cinto por Raiane. Cleiton teria reagido à ação militar, tentando tirar a arma do coldre do soldado Alessandro. O cordão de segurança da arma arrebentou e ela acabou disparando, acertando de raspão o dedo indicador de Cleiton, que disputava a arma com o Militar. 

Um grupo de pessoas aglomerou-se em torno da viatura, fazendo menção de tomar os dois conduzidos, inclusive lançando ovos contra os militares. Outras viaturas se deslocaram para o local conseguindo conter os populares e conduzir os militares e os jovens ao Hospital Municipal de Ipatinga. Cleiton e seu irmão Cleber foram presos em flagrante delito pelo crime de lesão corporal e resistência. O soldado Alessandro foi conduzido ao 14º BPM, e encontra-se à disposição do comandante da unidade para providências judiciárias militares. 

Testemunha ocular 
José Pires Cotta, de 52 anos, testemunhou toda ação. Ele relatou que os militares revistaram Cleber e não encontraram nada com ele, então começaram a estrangulá-lo. Cleiton, o irmão de Cleber, tentou intervir ao avistar a ação da PM, nesse momento sua mulher, Raiane, pulou no soldado Alessandro arranhando-o com suas unhas. Ele a teria empurrado, jogando-a contra o meio fio, onde ela desmaiou.

Cleiton Horraine Gomes Andrade, o Toso, segundo os arquivos do Jornal Vale do Aço, já tem passagem pela polícia por tráfico de drogas e é suspeito de um homicídio acontecido no dia 22 de março de 2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!