PC faz mutirão para apurar crimes de drogas

EM UM ÚNICO DIA, A EQUIPE DE TÓXICOS TRABALHOU NA INVESTIGAÇÃO DE CERCA DE 1/5 DOS INQUÉRITOS E FOI LIDERADA PELO DELEGADO ELTON COTA. 

Fernando Silva 

Durante a manhã dessa quarta, mais de 100 pessoas prestaram depoimentos no 12º Departamento de Polícia de Ipatinga
IPATINGA – Com o trabalho de 12 escrivães, seis investigadores de polícia e um delegado específico no atendimento à participação de pouco mais de 100 depoentes devidamente intimados pela Justiça, a equipe da Delegacia de Tóxicos de Ipatinga realizou na manhã dessa quarta-feira (21), no 12º Departamento de Polícia Civil, bairro Iguaçu, um mutirão de apurações de aproximadamente 100 inquéritos de crimes que envolvem tráfico de drogas no município. Segundo o delegado regional de Tóxicos e Entorpecentes da cidade, Elton Cota, o objetivo da mobilização é diminuir o acervo atual de 500 inquéritos no Cartório de Tóxicos do município.

“Esse trabalho, se fosse realizado normalmente, ou seja, sem esse mutirão, levaria de seis a oito meses, aproximadamente, para ser concluído. Nossa finalidade foi concluir esses inquéritos antigos, de 2005 para cá, para que, em seguida, possamos enviá-los ao Fórum. O objetivo é voltar nossas atenções para o trabalho atual na apreensão de drogas, já que, em Ipatinga, temos muita droga em circulação. Atualmente, a nossa equipe é muito pequena, porém, eficiente, e precisamos voltar toda essa eficiência para retirar as drogas das ruas e voltar as nossas atenções para enfatizarmos os casos de prisões em flagrante. Hoje em dia, contamos também com o trabalho muito bem feito da Polícia Militar em Ipatinga, que retira de circulação uma grande quantidade de drogas. Buscamos dar uma resposta à sociedade, concluindo esses inquéritos antigos, já que muitos deles precisam de poucas diligências para que sejam finalizados”, justificou Elton Cota.



Segundo o delegado titular da Delegacia de Tóxicos de Ipatinga, Helton Cota, o objetivo do mutirão é diminuir o acervo atual de 500 inquéritos no Cartório de Entorpecentes do município
O delegado regional da Polícia Civil de Ipatinga, Gilberto Simão de Melo, ressaltou a importância do mutirão e afirmou que uma nova mobilização deverá ser realizada no próximo mês. “Tivemos o apoio do Chefe do Departamento, delegado Walter Felisberto, que nos cedeu o espaço para que pudéssemos estar fazendo esse mutirão, que teve início na delegacia de Homicídios, por meio da apuração de crimes Contra a Vida, quando já tentávamos sanear os antigos inquéritos de homicídios de 2007 e 2008. Agora, promovemos esse igualmente importante mutirão para os crimes de Tóxicos. Temos casos de maior urgência e que não podem parar. Nós nos dividimos, priorizando, com a realização de mutirão, exatamente esses casos mais urgentes, que têm que ser encaminhados à Justiça, ao mesmo tempo em que não retiramos a atenção dos inquéritos graves, principalmente aqueles em que existe alguma pessoa presa. Existe, sim, a previsão de fazermos mais um mutirão alusivo aos crimes que envolvem menores e também mulheres. Esse próximo mutirão deverá ser realizado possivelmente no meio do mês dezembro”, afirmou.

Mais de 100 depoentes
O delegado regional também esclareceu a posição das pessoas intimadas na prestação de depoimentos durante a apuração de inquéritos nos mutirões promovidos pela Polícia Civil. “A nossa lei Processual Penal diz que as testemunhas que devam prestar depoimentos na delegacia são, sim, obrigadas a comparecer. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!