Sargento que matou morador no Serra pode responder em liberdade


perícia no aglomerado da serraA Justiça Militar começou a analisar nesta quarta-feira (28) se o sargento que matou morador no Aglomeradod a Serra vai responder em liberdade. Identificado apenas como Vítor, ele integra o Grupo Especializado de Policiamento em Áreas de Risco (Gepar) do 22º Batalhão e foi ouvido na terça-feira (27) pela Corregedoria.

O sargento, de 38 anos, está na corporação há 19 e foi preso em flagrante por homicídio. Vai responder, ainda, a um processo administrativo.

 Uma testemunha afirma que a vítima já estava morta quando os policiais prestaram socorro, o que contradiz a versão inicial dos militares. O objetivo, agora, é saber o que ocorreu antes e depois do disparo que atingiu o rapaz na cabeça.

Divergências
“Ele tinha acabado de tomar banho, depois de chegar do trabalho, e avisou que iria sair. Usava drogas, mas nunca teve arma”, afirmou a mãe da vítima, Zelita da Silva, de 61 anos. Uma arma que, segundo a PM, estaria com Helenílson, foi apreendida.

A versão do sargento só foi divulgada parcialmente. “Havia cinco homens armados no aglomerado. O Gepar foi acionado e trombou com esses dois homens, quando teve o desfecho do fato narrado e o outro homem teria evadido”, diz o comandante do 22º Batalhão, tenente-coronel Luiz José Francisco Filho. A primeira ocorrência estaria relacionada à busca por suspeitos de cometer uma “saidinha de banco” no Santa Efigênia.
Hoje em dia

Um comentário:

  1. Estamos apurando os fatos disse o delegado, da defesa os advogados sustento a versão dada pelo policial, Sustentamos sua versão disse o dr Ricardo Escorizza dos Santos.

    ResponderExcluir

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!