No Serra, tráfico espera desmobilização da PM para agir



Homens, mulheres e crianças dividem o espaço de becos e ruelas com policiais fortemente armados, empunhando fuzis ou espingardas. Os ônibus, que voltaram a circular na parte alta, se misturam à passagem de viaturas por todos os lados. Assim segue a vida no Aglomerado da Serra, em Belo Horizonte, cinco dias depois do episódio que voltou a “sacudir” o morro – a morte de um morador por um militar.

Mas essa aparente tranquilidade vai durar até quando? Moradores que apoiam a presença da PM afirmaram, ontem, que a criminalidade voltará a “dominar” o morro assim que a polícia se desmobilizar. Alegação confirmada, inclusive, por quem comercializa drogas. “Sabe como é moça, com os ‘gambé’ (policiais) espalhados aqui, não tem como manter o movimento do tráfico”, afirmou um jovem aparentando entre 17 e 20 anos.

Ele estava acompanhado de outro rapaz, da mesma faixa etária, que atestou.

“Reforçam o policiamento quando eles mesmo (PMs) fazem bobagem. Mas é melhor eles saírem rápido porque, do jeito que está, os ‘negócios’ não andam”. Recado dado, os jovens viraram as costas e voltaram para o beco de onde surgiram.

Clima de medo
Blog do Esteves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!