Minas Gerais tem suas serras com os dias contados

Ricardo Bastos/Hoje em Dia
mineração destruição serras serra pico do cauê itabira
Degradação - Em Itabira, o Pico do Cauê não existe mais

A relação mineração e meio ambiente é garantia de conflitos. Em Minas Gerais, Estado privilegiado em recursos naturais e maior província mineral do país, o embate das mineradoras com os defensores do meio ambiente é perene. O apetite por minério de ferro e seus retornos financeiros levou mineradoras a avançarem sobre paraísos ecológicos. O agravante da situação é que, invariavelmente, onde existe minério, existe água.
O argumento dos especialistas em mineração é o da rigidez locacional, ou seja, o minério só pode ser explorado onde está. Argumentam, ainda, que o impacto gerado é muito localizado.
Esses argumentos são prontamente rebatidos por ambientalistas, que também defendem a rigidez locacional para a preservação. Afinal, a criação de um parque, por exemplo, só pode ocorrer onde existe a convergência de características relevantes que justifiquem sua criação.
Nessa corrida pelo minério e pela preservação, as empresas mineradoras são mais velozes. O pico do Cauê, em Itabira, por exemplo, já não existe mais, destino que também terá o pico do Itabirito. Em Congonhas, a Serra de Casa de Pedra, fundo para os Doze Profetas esculpidos por Aleijadinho, está sob ameaça. As reservas de diamantes na Serra da Canastra já foram detectadas pelos radares de multinacionais.
Na prática, a sociedade deve escolher entre dois caminhos. Um deles é o da produção de uma riqueza que, ainda que significativa, tem esgotamento previsto para daqui a alguns anos, deixando um rastro de danos irreversíveis nas imensuráveis riquezas naturais, científicas e histórica.
A outra opção é a manutenção do tesouro para as presentes e futuras gerações, com seu aproveitamento em atividades que também geram riqueza para os municípios e suas populações, sem, no entanto, jamais esgotar sua fonte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!