Polícia Militar prende seis do bando do ‘Filipim’


AKR 

Cristiane Cândida (1), Wesley Sousa de Paula (2), Wellington dos Santos Augusto (3), Alan Rezende de Lima (4), Fernando Figueiredo (5) e Wallace dos Santos (6) foram presos.
DA REDAÇÃO – 
A quadrilha do “Filipim Branco”, especializada em explodir caixas eletrônicos foi presa pela Polícia Militar quando passavam em Realeza, distrito de Manhuaçu, na noite desta quarta (23). Dos sete integrantes, apenas um escapou, Fillipe Moreira Quirino, conhecido como Fillipim Branco (21) anos, considerado o chefe do grupo. Além da autoria de explosões a caixas rápidos, a quadrilha é suspeita de um assalto em uma relojoaria em Caputira, e na última quarta (23), a PM estourou um depósito de dinamites e munições, que também pode pertencer à gangue, entre vários outros crimes.

Segundo o Sargento Rogério, uma equipe do setor de inteligência do 11º Batalhão de Polícia Militar, em Manhuaçu, percebeu nas imediações de um restaurante alguns suspeitos no interior de um veículo Celta seguido por uma moto Honda CG/150 Titan. A característica de um dos suspeitos assemelhava-se com o individuo conhecido por "Fillipim Branco", suspeito de comandar uma quadrilha de saqueadores de caixa eletrônicos de bancos das regiões de Ipatinga, Caratinga e Manhuaçu. “Eles foram interceptados na BR-116, quando saiam para o lado de Ipatinga. No momento da abordagem foi determinado que desembarcassem e colocassem as mãos no muro de um terreno baldio pertencente à antiga sede do DNER. Aproveitando que estavam em maior número, três deles fugiram correndo para o lote abandonado e embrenharam-se na mata”, detalha. Durante a fuga, um dos elementos sacou um revólver e atirou contra os policiais, que revidaram o disparo.

Dinamite
Durante as buscas, no Celta a PM encontrou uma pistola 40, municiada com 25 cartuchos (mesma munição encontrada no barracão no Bethania) bem como faca, tablete, notebook, cigarro de maconha e três balas calibre 38. Na perseguição aos foragidos, a polícia encontrou uma banana de dinamite deixada por um dos elementos, semelhante à apreendida pela PM na última quarta.

Cristiane Cândida Gomes, amásia de "Fillipin Branco”, estava com uma criança de seis meses. Também foram presos nesta primeira abordagem Wesley Sousa de Paula (21), Wellington dos Santos Augusto (27), e Alan Rezende de Lima (22).

AKR 

O líder da gangue, Filipim, segue sendo procurado pela polícia
Durante a manhã desta quinta (24), mais dois foram presos: Wallace dos Santos Augusto Ferreira (23), e outro com nome de Fernando ou Rodrigo, já que a identificação ainda não foi confirmada e ele está enrolando para dar o nome verdadeiro. Apenas o chefe do grupo, Fillipim Branco, continua foragido. Todos os envolvidos estavam retornando do litoral capixaba, em Guarapari, região em que são suspeitos de terem explodido caixas eletrônicos, bem como são suspeitos de terem cometido o mesmo crime nas regiões de Manhuaçu e Caratinga e no Vale do Aço. Para o Sargento Rogério, devido aos materiais que transportavam, poderiam estar planejando novos crimes.

Braço Direito
Wallace dos Santos, que conseguiu fugir, mas foi capturado no dia seguinte, é o braço direito de “Filipim”. Morador do Limoeiro, ele é acusado de vários assaltos na região. Em novembro do ano passado, foi perseguido pela PM em uma moto de 400 cilindradas, mas conseguiu fugir. Ele foi perseguido pelas ruas dos bairros Caravelas e Veneza. Wallace é suspeito de vários assaltos, entre eles o roubo a um funcionário do estabelecimento comercial Pag Contas. Na ocasião dois assaltantes em uma motocicleta roubaram um malote contendo mais de R$ 39 mil. O roubo foi registrado na avenida José Anatólio Barbosa, no bairro Limoeiro, em Ipatinga. 

Wallace também chegou a ser preso por participação na tentativa de assalto à joalheria Taj Mahal, no Shopping do Vale, em 2010. Na ocasião, ele estava em uma moto Honda 900cc, perdeu o controle próximo à Usipa e se embrenhou em um matagal. Ele acabou capturado, mas prestou depoimento na 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Ipatinga e foi liberado.

Ele também foi preso depois de assaltar a casa lotérica São José, na Praça 29 de Abril, no Centro-Sul, em Timóteo, no dia 11 de fevereiro do ano passado. Depois do assalto ele e um comparsa fugiram na Honda XRE 300cc, placa HME-5403, que havia sido roubada no dia anterior. No trevo da sinergia, eles foram cercados pela Polícia Militar, perderam o controle da moto e entraram em uma galeria de rede pluvial para tentar escapar. Entretanto, acabaram capturados pelos PMs, que contaram com o auxílio de pastores alemães da Rocca (Ronda com Cães).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!