Preso em carro de luxo com medicamentos e R$ 17 mil




Wanderlúcio tinha consigo dezenas de cartelas com comprimidos contra disfunção erétil, emagrecimento e interrupção de gravidez, além de R$ 17 mil
PARAÍSO – A Polícia Militar apreendeu, por volta das 11h desta quinta-feira (25) um envelope com R$ 17 mil em espécie, anotações de contabilidade e diversos medicamentos sem nota fiscal ou receita médica que Wanderlúcio Gomes do Carmo, 35, mantinha em seu poder a bordo de um Hyunday Sonata GLS, cor prata, com vidros escuros. O veículo foi abordado em um posto de gasolina no bairro Industrial, em Santana do Paraíso e seu condutor preso por tráfico de drogas e corrupção de menores.
Conforme o boletim de ocorrência, Wanderlúcio tinha consigo dezenas de cartelas com comprimidos contra disfunção erétil, emagrecimento e interrupção de gravidez. Nos dois primeiros casos, conforme portaria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, é exigida a apresentação de receita médica para venda compra em estabelecimento farmacêutico credenciado, com a obrigatoriedade de nota fiscal. No último, é proibida a comercialização da substância em território nacional.


Wanderlucio chegou a pedir a um menor para dar fim aos remédios para interrupção de gravidez
O suspeito informou residir em Caratinga e trabalhar como representante comercial de cosméticos na região do Vale do Aço. Ainda conforme Gomes, que ao depor se contradisse em vários momentos, o dinheiro seria o pagamento referente à venda de um veículo. Ele alegou ainda serem de sua propriedade apenas os estimulantes sexuais, e que as demais substâncias químicas lhe teriam sido entregues por um conhecido para serem levadas a Governador Valadares. A Polícia Militar de Caratinga efetuou buscas em sua residência, onde localizou diversos outros produtos que também foram apreendidos para averiguação.
No momento enquanto era lavrada a ocorrência, os policiais tiveram que atender a um chamado de furto, quando Wanderlúcio teria se aproveitado para presentear com um relógio caro um menor que estava no local, pedindo que em retribuição o adolescente desse fim aos comprimidos para interrupção de gravidez. A tentativa de eliminar um dos indícios de crime foi frustrada quando os policiais, verificando a ausência dos medicamentos, os localizaram no bolso da bermuda do garoto. O episódio configurou crime de corrupção de menores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!