Homem é degolado em Ipatinga


IPATINGA – Marcelo Salatiel Marques (31), deficiente físico que trabalhava como ajudante, sempre tirava um tempo para ficar debaixo de uma árvore, próximo ao antigo campo, no Alto do Barra Alegre. Na manhã deste sábado (23), por volta das 10h, ele estava debaixo da árvore, e foi assassinado. A perícia encontrou um profundo corte no pescoço e dois tiros, um nas costas e um embaixo da axila. Ele tem envolvimento com drogas, agressões, além de ser suspeito de homicídio no ano de 2011.
O crime aconteceu próximo ao antigo campo. Segundo o perito Gilmar Miranda, Marcelo Salatiel estava sentado onde fica normalmente, quando foi surpreendido por tiros, sendo atingido nas costas e debaixo das axilas. Mesmo baleado e caído, ele ainda teria lutado contra os autores. As marcas de facadas no braço direito atestam esta tese. Marcelo não tem o braço esquerdo. Ele foi vencido por possivelmente três assassinos, que conseguiram fazer um corte profundo em seu pescoço com uma arma branca. A perícia também cogita que este corte, e a perda de sangue decorrente dele, seria a causa da morte. O tiro abaixo da axila também tem caráter fatal, pela proximidade do projétil com o coração da vítima.
Apreensões
Segundo o Sargento Amorim, o Copom recebeu inicialmente a informação sobre os disparos de arma de fogo. Quando chegaram ao local que tomaram conhecimento do homicídio. Dois suspeitos, um maior e um menor de 17 e uma arma foram apreendidos. A arma é uma garrucha de calibre 22 com duas cápsulas deflagradas. Um menor segue foragido. “As informações e denúncias apontam que três pessoas participaram desse crime. A ex-esposa disse que ele usuário de drogas e fazia uso de bebidas alcoólicas. Vamos seguir com o rastreamento até prender todos os envolvidos”.
O primeiro detido nega participação do crime, porém a declaração dele vai contra a afirmação de testemunhas e de denúncias anônimas. De acordo com os suspeitos, eles tiveram um desentendimento com a vítima, e o assassinaram debaixo da árvore.
No local do crime, a ex-esposa e um irmão de Marcelo acompanhavam o trabalho dos policiais. “Ele estava batendo papo com amigos, como faz todos os dias. Estamos pedindo justiça. Ele não estava sendo ameaçado de morte. Ele deixou dois filhos, de sete e oito anos. Vamos acreditar na justiça e pedir ajuda a Deus”, disse a ex-mulher.
Batoré
Marcelo Salatiel estava envolvido em outro homicídio, que aconteceu no dia 16 de junho de 2011. Na ocasião, o corpo do auxiliar de serviços gerais Claudinei Rosa de Araújo (40), que era mais conhecido como “Batoré”, foi encontrado em uma escadaria na rua José Elias, também no Alto Barra Alegre, há cerca de 20 metros de onde o corpo de Marcelo foi encontrado neste sábado.
Inicialmente, ele era suspeito do crime, chegando até a ser levado para a Delegacia para prestar depoimento. Porém, lá ele passou de suspeito para testemunha, revelando que o assassino um primo seu, que se encontra foragido.
Batoré foi esfaqueado no ombro direito, no abdômen e no tórax.
 
Fonte:JVA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!