Mulher acusada de bruxaria é queimada viva

BBC Brasil
Post Courier/AFP
Uma mulher foi torturada e queimada viva na Papua Nova Guiné, um país da Oceania, depois de ser acusada de usar bruxaria para matar um menino, de acordo com informações da imprensa local.
Segundo o jornal The National, a mulher era Kepari Leniata, de 20 anos e mãe de um bebê.
O incidente ocorreu na região da cidade de Mount Hagen, na Província das Highlands Ocidentais (centro do país).
Os familiares do menino capturaram Kepari, arrancaram suas roupas, amarraram a mulher e jogaram gasolina em seu corpo. Ela então foi incendiada em frente a centenas de pessoas.

A polícia e os bombeiros não conseguiram impedir o crime, segundo o National. Outro jornal local, o Post Courier, afirmou que policiais e bombeiros foram perseguidos pela multidão que assistiu ao crime, em número muito superior a eles.
Os dois jornais publicaram imagens chocantes da mulher sendo queimada viva em suas primeiras páginas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!