Mulher de Mesquita cai no golpe do falso sequestro


MESQUITA – Uma moradora de Mesquita foi vítima, nesta segunda (25), por volta das 15h30, do falso sequestro pelo celular. T.M.R (28), contou que recebeu uma ligação de um número não identificado, informando que seu irmão havia sido sequestrado. Os sequestradores exigiam R$3 mil. Ela disse que os sequestradores a ameaçavam o tempo inteiro, e que seu irmão seria morto se ela não agisse conforme o ordenado. Ela tentou ligar para seu irmão, mas não conseguiu, e começou a acreditar no sequestro.
Ela conseguiu abaixar a quantia para R$500, e depositou o dinheiro em uma conta informada pelos sequestradores: Agência 0015, Cona 26303-0, operação 13. O dinheiro foi depositado na conta poupança de Ivonete Maria de Araújo. Ele ordenou também que ela jogasse o comprovante do deposito fora.
Logo após o deposito, o irmão da vítima chegou em casa, negando que tinha sido sequestrado.
O golpe
                    Este tipo de crime é comum em áreas mais afastadas e rurais, se aproveitando da inocência de muitos cidadãos. A performance teatral dos golpistas muitas vezes inclui gritos no fundo do telefonema e fornecimento de detalhes da pessoa supostamente sequestrada para assustar e convencer o interlocutor a pagar rapidamente. Técnicas de "engenharia social" são também usadas pelas quadrilhas mais evoluídas e estruturadas.
                   No caso do falso sequestro, o tal membro da família não foi sequestrado, mas provavelmente recebeu logo antes um telefonema de alguém que com alguma desculpa (participação num concurso ou programa televisivo, sorteio, cadastramentos de algum tipo, suposta clonagem de cartões de crédito ou celular) conseguiu obter várias informações pessoais (que foram usadas depois pra convencer os parentes que a pessoa foi mesmo sequestrada), inclusive o telefone do familiar vítima que irá receber as ameaças. Eles também ficam ligando direto no numero do suposto sequestrado para mantê-lo ocupado de forma que não seja possível para os familiares fazer contato e verificar se ele se encontra bem. Em outra variante os golpistas ligam antes para o celular do suposto sequestrado e dizendo ser da companhia telefônica, pedindo que deixe o celular desligado por uma ou duas horas como parte de um procedimento contra a clonagem do número.
Como agir
                 Especialistas e a própria polícia aconselham que, quando se encontrar em uma situação assim, mantenha a calma, pois os golpistas aproveitam o nervosismo pra tirar todas as informações possíveis. Nestes casos ganhe tempo, verifique através de outros números onde está a pessoa supostamente sequestrada. Se necessário, desligue na cara dos golpistas logo no início da conversa (para deixar a linha disponível para você tentar contatar a pessoa), afirmando depois, caso a ligação seja retornada, que a chamada caiu.
                Nunca, durante a conversa, forneça ou confirme qualquer dado seu ou de seus familiares, como endereços, local de trabalho e outros, evitando passar informações pessoais para os estelionatários.
               Dados disponíveis em redes sociais podem facilitar a ação dos bandidos, principalmente com relação a dados de família, quantidade de filhos, local onde moram, bens adquiridos e etc.
Confirmado o golpe, é aconselhado entrar em contato com a polícia, denunciando o fato e as pistas disponíveis, para que eles tomem as medidas cabíveis. Outro conselho é não atender nem tentar retornar a ligação para esses números, já que, do outro lado da linha, se tratam quase sempre de criminosos experientes.

Fonte: JVA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!