Negociações em penitenciária que está 18% acima da capacidade são retomadas

Negociações em penitenciária que está 18% acima da capacidade são retomadas, após conversa informal

Negociações em penitenciária que está 18% acima da capacidade são retomadas Eugênio Moraes
Antes de serem iniciadas as negociações com os detentos rebelados da penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH, policiais conversaram informalmente com os presos. A informação é da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) divulgada em nota nesta sexta-feira (22) e que dava conta também do horário em que foram retomadas, oficialmente, as negociações com os detentos: às 10h, ou seja, 25 horas depois do início da rebelião. A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) descartou que a hipótese levantada nesta manhã por parentes e amigos dos presidiários do lado de fora da unidade de que os rebelados tivessem feito outros cinco presos reféns.

As conversas para entrar em um acordo entre a polícia e os cerca de 90 presos mobilizados na ação, que mantém uma professora e um agente penitenciário reféns, foram interrompidas às 0h45 desta sexta e retomadas nesta manhã, conforme a Suapi. A penitenciária Nelson Hungria está 18% acima da capacidade. A unidade tem capacidade para 1.664 detentos, mas atualmente, 1.970 estão encarcerados no Complexo. O líder da rebelião foi identificado como Daniel Augusto Cypriano. Ele cumpre pena por dois roubos e um homicídio há dez anos na penitenciária. O preso  deu uma entrevista ao vivo para a rádioItatiaia. A Seds informou que vai apurar o uso de celulares de dentro da unidade.

A ação é realizada pela Polícia Militar em conjunto com o Comando de Operações Especiais (Cope) do Sistema Prisional. Os 90 detentos envolvidos continuam sem luz, além disso, eles não comem desde a quinta-feira. Pelo menos 210 militares e 30 agentes do Cope participam das negociações.
Um gabinete de crise foi montado no local, com a presença de autoridades da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), Polícia Militar e Polícia Civil.
Dentre os detidos na penitenciária Nelson Hungria estão o goleiro Bruno Fernandes, Frederico Flores, apontado como líder do “Bando da Degola”, Marcos Antunes Trigueiro, o homem que ficou conhecido como “Maníaco de Contagem”. Nenhum desses estaria, contudo, na ala onde ocorre a revolta dos presos. O promotor Henry Vasconcelos, que acompanha o caso do goleiro, esteve na unidade prisional nesta quinta-feira para ter notícias do réu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!