PC derruba quadrilha em Ipatinga


A Polícia Civil fechou na manhã desta quinta-feira (31), um ponto de tráfico de entorpecentes na Rua Graúnas, no Bairro Vila Celeste. A operação teve início após uma denúncia anônima, que fez com que os policiais chegassem à casa de Leandro Alves de Oliveira (20), e um menor, de 17 anos, suspeitos de tráfico. A operação durou cerca de duas horas, prendeu três pessoas, apreendeu o adolescente, além de duas armas e cem pedras de crack, entre outras drogas.

A operação foi chefiada pelo Delegado Ricardo Cesário, da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes. Segundo ele, a informação de que no local funcionaria uma boca foi passada por um usuário. “Um usuário de drogas, durante o plantão noturno, acabou confidenciando que na Rua Graúnas, no Vila Celeste, existiam dois indivíduos que vendiam entorpecentes. A equipe do plantão fez uma comunicação e nos encaminhou a denúncia. Então fomos investigar. Na primeira campana de levantamento de informações, os investigadores já descobriram que no local ocorria mesmo tráfico de drogas, devido a intensa movimentação de usuários”, explicou o delegado.

Assim que recebeu a informação de que a denúncia era verdadeira, o delegado entrou com o pedido de um mandado de Busca e Apreensão, prontamente deferido pelo juiz Dr. Calais da 2ª Vara Criminal. “Hoje cumprimos o mandado, e apreendemos grande quantidade de drogas, armas de fogo e eletrônicos, além de outros materiais”.

Foram apreendidos um revolver calibre 38, com cinco munições, e uma pistola semi-automática calibre 9 mm, de uso restrito das Forças Armadas e da Polícia Federal. A PC apreendeu também 100 pedras de crack, além de uma pedra maior, que ainda não tinha sido fracionada em unidades menores para a venda; duas buchas de maconha; e 15 papelotes de cocaína, além de outras duas grandes porções da droga ainda petrificadas, que seriam transformadas em papelotes. “Além das armas e drogas, apreendemos também R$288, em notas miúdas, dinheiro proveniente do tráfico, uma balança de precisão, três rádios comunicadores, usados para avisar sobre a chegada da polícia nas proximidades e 16 celulares”, completou Ricardo.

Prisões

Foram presas três pessoas: Leandro Alves de Oliveira, e outros dois jovens que atuavam como olheiros da boca; Ernando Quirino Costa (30) e o Marcos de Paula Oliveira (22). Além dos três, foi apreendido também um menor de 17 anos, que trabalhava junto com Leandro. Os três foram encaminhados ao Ceresp. Já o adolescente será apresentado ao promotor de justiça, que decidirá pela internação ou não. “Eles eram uma quadrilha bem organizada e estruturada, organizada para combater quadrilhas rivais e até a polícia. Um deles afirmou que, se estivesse armado no momento da chegada da PM, teria trocado tiros conosco”, disse o delegado.

Envolvimento em homicídios
A PM
cogita também o envolvimento da quadrilha em assassinatos. “Dra. Irene, delegada titular da Delegacia Adjunta de Crimes Contra a Vida, já sabe da apreensão. Ela afirmou ter algum homicídio sendo apurado, que a morte se deu por projétil de 9 mm. Então, será feito o laudo, e se houver relação da morte com a arma, tornaremos mais fácil a identificaç
ão da autoria deste crime”, finalizou o delegado.


 http://www.jornalvaledoaco.com.br/novo_site/ler_noticia.php?id=102732

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!