Centro de Internação de Menores – o CIA Provisório.

Estado investe em unidade II de Fabriciano para liberação de área no centro de Ipatinga 

Janete Araújo 

O IMÓVEL hoje ocupado pela Associação Rios de Água Viva, ao lado da Delegacia Regional de Polícia Civil
IPATINGA – Aconteceu na manhã de quarta-feira (13), durante quase três horas, na Agência Metropolitana do Vale do Aço, uma reunião para tratar da retirada da Unidade I da Associação Rios de Água Viva da área que ocupa na rua Santa Bárbara, no Centro da cidade. A intenção é que isto ocorra em caráter de urgência. Desocupado o prédio, no local será instalado o Centro de Internação de Menores – o CIA Provisório. O prazo que está sendo trabalhado pelos presentes é que dentro de um mês o prédio esteja desocupado e liberado para o Estado fazer as reformas necessárias.

Estiveram presentes representantes da Agência Metropolitana do Vale do Aço, do Conselho de Segurança Pública (Consep I), do Ministério Público, da Polícia Militar, o vice-prefeito Alfredo Ramalho, o Delegado Regional da Polícia Civil de Ipatinga, Gilberto Simão de Melo e o diretor regional da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), Edinho Ferramenta.

Durante a reunião eles cobraram do presidente e fundador da Associação que trata de dependentes químicos, Fernando Januário, uma posição sobre a data de desocupação da área e transferência dos internos, cerca de 109, para a unidade 2 localizada na Alameda Rio Doce, no bairro Morada do Vale, em Coronel Fabriciano, ao lado da tradicional Cidade do Menor.

A principal reclamação de Januário é que não se pode acabar com a Unidade I da entidade em Ipatinga e para isso, há cerca de nove meses foi feita uma reunião na qual foi prometido a ele que um terreno de propriedade da Cenibra seria doado para construção da nova unidade da Associação, assim como seriam levantados recursos para o término do Bloco A da unidade II, ainda não terminado. “Assim que eu tiver essas garantias mudo com os internos para Coronel Fabriciano em 15 dias”, afirmou. 

O vice-prefeito Coronel Ramalho sugeriu que houvesse uma repactuação. Os presentes se empenhariam em acabar a construção em Coronel Fabriciano, a Rios de Água Viva se mudaria em seguida e depois todos continuariam lutando por conseguir uma área para construir a nova unidade I. Contudo, foi dado um prazo até meio-dia desta quinta (14) para uma resposta de Januário, que neste momento deixou a sala de reuniões. Mas as deliberações sobre o assunto continuaram.

Carmelita Drumond, membro do Consep I, explica que as três cidades, Coronel Fabriciano, Timóteo e Ipatinga, estão se unindo para garantir que a obra no prédio do bairro Morada do Vale seja concluída. Mas ela entende que “enquanto isso a Associação deve se mudar”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!