Jornalista é assassinado a tiros em Ipatinga

Um jornalista de uma rádio de Ipatinga, no Leste de Minas Gerais, foi assassinado na madrugada desta sexta-feira (8). Rodrigo Neto era repórter policial e locutor de um programa, também policial, na Rádio Vanguarda.Segundo informações da Polícia Militar, o crime aconteceu próximo a um bar na avenida José Selim de Sales, uma via movimentada no bairro Canaã. Ainda de acordo com a PM, Rodrigo Neto saiu do bar e foi em direção ao seu carro, e quando se aproximou do veículo, dois homens armados, e em uma moto, efetuaram três tiros. Dois acertaram o jornalista, que chegou a ser socorrido e levado para o hospital de Ipatinga, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. De acordo com o comandante da 14º Região de Polícia Militar do Vale do Aço, ainda não é possível afirmar se o crime foi motivado por vingança, já que o jornalista era apresentador de um programa policial. Rodrigo Neto não tinha passagens pela polícia e a PM já tem suspeitos do crime.
Conjunto
O comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Edvânio Rosa Carneiro, informou haver algumas hipóteses a respeito da autoria dos disparos. “No momento, não há nenhuma confirmação que indique alguma retaliação a respeito da atividade exercida por ele; isto carece de apuração, carece de investigação por parte da Polícia Civil. É importante ressaltar que as polícias Militar e Civil estão trabalhando de forma conjunta para esclarecer este fato”, destacou o comandante.O delegado regional da Polícia Civil, Gilberto Simão de Melo, assegurou que todo aparato policial necessário para apurar este crime com maior celeridade possível será feito. “As esquipes de homicídios estão nas ruas e, se necessário for, conseguiremos mais policiais para apurar. Solicitamos que as pessoas nos informem para que possamos elucidar este crime. Até o momento, nenhuma testemunha qualificada pela Polícia Militar foi ouvida”, destacou.O delegado Ricardo Cesari é o responsável pelas investigações, pelo fato de a delegada titular da Delegacia de Crimes contra a Vida, Irene Angélica Franco, estar de férias. “Trabalhamos com as informações fornecidas pela Polícia Militar no boletim de ocorrência e todas as equipes de investigação estão em campo colhendo informações. Temos cinco projéteis recolhidos; foram encontrados três na calçada e dois no corpo de Rodrigo”, explicou.Ainda conforme o delegado Ricardo, a polícia não descarta nenhuma hipótese nas investigações. “A priori, o que a gente trabalha mais distante seria latrocínio – roubo seguido de morte – porque os pertences da vítima não foram levados. E sobre ameaças de morte feitas à vítima, a Polícia Civil não tem nenhuma informação. Além disso, foi solicitado um levantamento da vida pregressa da vítima”, relatou.E o delegado Alexsander Esteves Palmeira ressaltou que o 12º Departamento de Polícia Civil disponibilizará todo efetivo, toda logística para a investigação no sentido que haja uma resposta rápida na elucidação deste crime. “Eu creio que não seja nenhum ataque à imprensa, e a investigação trará os dados necessários para uma análise completa deste caso e uma breve elucidação”, disse.Ontem, na 1ª Delegacia Regional de PC, havia informação de que a Secretaria de Defesa Social indicará membros da equipe da Delegacia de Homicídios, de Belo Horizonte, para acompanhar as investigações.


Fonte:G1
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!