Trio é preso com 814 quilos de maconha que seriam distribuídos na Grande BH


Droga estava escondida dentro de um fundo falso do imóvel (Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press)

Droga estava escondida dentro de um fundo falso do imóvel

Uma operação da Polícia Civil terminou com a prisão de três homens e a apreensão de 814 quilos de maconha em um lava-jato no Bairro das Indústrias, na Região do Barreiro, em Belo Horizonte. O grande número de entorpecentes encontrados, é a maior deste ano. O trio foi apresentado na tarde desta terça-feira no Departamento de Investigação Antidrogas. De acordo com o delegado Márcio Lobato, a droga seria distribuído na Grande BH e em cidades do interior. 

A polícia recebeu informações de que um carregamento de drogas iria chegar no lava-jato, localizado na Rua Vereador Orlando Pacheco. Diante da denúncia, foi montada uma operação para prender os traficantes. Enquanto os policiais monitoravam o local, um Celta, entrou no estabelecimento e os suspeitos começaram a colocar drogas dentro dele. 

O dono do veículo, que é de Coronel Fabriciano, na Região do Rio Doce, Jozilei Antonio da Silva, de 27 anos, foi preso com 30 quilos de maconha, que seria levada para a cidade. O restante da droga foi encontrado em um fundo falso do imóvel que era tampado por uma placa de madeira. Também foram presos, Júlio Viana de Jesus, 31, e Isaac dos Santos, de 29. 

Segundo a polícia, o dono da droga seria Isaac, que já foi condenado por tráfico de drogas e voltou para o ramo do crime. Já Júlio, afirmou aos investigadores que apenas guardava o material. Para isso, recebia uma quantia semanal e uma quantidade de drogas para fazer o serviço. Para a delegada Elisa Caetano, ele também pode ter outras participações no tráfico. “Acredito ser muito difícil alguém ser dono dessa quantidade de droga sozinho. Também não descarto a participação de outras pessoas na quadrilha”, afirmou. 

A polícia acredita que a interceptação aconteceu pouco tempo depois que a droga chegou ao imóvel. Pois, normalmente, os traficantes fracionam o entorpecente para evitar o flagrante. Para o delegado Márcio Lobato, os presos tem alto poder econômico e de influência. “Para movimentar esse grande montante de drogas, precisa de uma estrutura para fazer chegar até o ponto do estoque”, afirmou. 

O delegado também destacou a importância da apreensão. “Os traficantes que estão na rua vendendo à varejo tem a sua importância, mas na medida que a gente consegue tirar de circulação grandes distribuidores, geramos o desabastecimento dos traficantes nas ruas”, disse. 

Os três presos foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação ao tráfico. Eles foram levados para o Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) São Cristóvão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!