Contra a PM - Entidades vão acionar MPMG contra leilão de cães

Entidades de defesa dos animais de todo o Estado se preparam para contestar, no Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), o leilão de dez cães que está sendo promovido pela Polícia Militar (PM). A corporação abriu edital para vender oito labradores e dois pastores alemães.

De acordo com a integrante do Movimento Mineiro Pelos Direito Animais (MMDA) Adriana Cristina Araújo, um documento está sendo elaborado, e, nos próximos dias, a denúncia deve ser oficializada. "Animais não são produtos, e somos totalmente contra a comercialização de vidas. Um cão ser bem-tratado não é só ter um abrigo ou estar em dia com a vacinação. Isso vai muito além", afirmou. O movimento pede que a PM doe os animais para pessoas previamente selecionadas.

O major Enos Machado explica que, há três anos, a doação de cachorros foi proibida pela corporação. Como os animais são tratados como um patrimônio da PM, nem mesmo os policiais podem participar da concorrência. "É uma norma interna, e o leilão é para tornar a venda mais democrática. É para que todos participem. Consideramos o valor simbólico porque, no mercado, esses cães valem até R$ 30 mil", disse.

Com preços entre R$ 90 e R$ 150, os cachorros nunca atuaram no trabalho policial pois não apresentaram aptidão para farejar drogas e explosivos ou capturar bandidos.

"Mas são todos cães dóceis, sociáveis e obedientes. Alguns até com adestramento básico", conclui o major.

OTEMPO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!