Laboratório de drogas tinha 3,5 quilos de cocaína

 
 IPATINGA – Ações conjuntas das polícias Civil e Militar têm resultado na prisão de vários envolvidos com a fabricação e o tráfico de drogas na região do Vale do Aço, principal ambiente de favorecimento de crimes de mortes, já que muitas das vítimas de assassinatos acabam sendo pessoas com dívidas não pagas aos distribuidores de entorpecentes. Na tarde desta quarta-feira (15) investigações levaram à descoberta de um laboratório de produção de drogas no bairro Bom Jardim, seguindo-se a prisão de seu proprietário.
Por volta das 15h, cumprindo um mandado de busca e apreensão, militares se dirigiram a uma residência na avenida Orquídea, n° 499, bairro Bom Jardim. Ao chegarem no local, eles se depararam com o proprietário do imóvel, Paulo Sérgio Renoso, 46 anos, e segundo os policiais ele jogava no vaso sanitário um produto aparentando ser cocaína.
Ao realizar uma busca pela residência a polícia localizou no banheiro várias porções da droga distribuídas em sacolas plásticas menores. Outros produtos, como éter, xilocaína e lidocaína também foram encontrados na casa.
A polícia informa que além da droga o morador tinha em seu poder diversas peças de roupas novas, ainda com etiquetas, assim como outros produtos cosméticos de procedência duvidosa.
Paulo Sérgio alegou que a droga e a xilocaína foram comprados pela quantia de 600 reais em Coronel Fabriciano, de um homem conhecido como “Topô”. O suspeito apontado como fornecedor dos materiais foi localizado em Coronel Fabriciano e também preso.
Segundo Paulo, os produtos seriam misturados ao crack para aumentar sua quantidade, além de estoque para ser usado em outra ocasião. Cerca de 3,5 kg de cocaína foram apreendidos.
Crime caracterizado
Como explicou o delegado Augusto, até mesmo quando a pessoa é encontrada com produtos destinados à fabricação ou aumento da quantidade de entorpecentes isto é considerado contribuição para o tráfico. “Vamos prender o acusado não só pela quantidade de droga encontrada, mas também pela xilocaína e outros materiais que estavam na sua residência, que já é considerado tráfico”, afirmou.
No último dia 9, a polícia desmontou um laboratório no bairro Forquilha, em Ipatinga. Os envolvidos nesse crime alegaram que há mais de oito meses estariam fabricando e traficando drogas na cidade, tendo um deles se desligado de seu emprego no início deste tempo.
Investigações buscam descobrir outros pontos de comércio e produção de drogas em mais bairros de Ipatinga.
 
JVA
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!