Cavalaria da Polícia Militar volta aos trabalhos após 10 dias de interdição


Cavalos que compõe Regimento da Polícia Militar não estão infectados por bactéria



Após dez dias de suspensão, o Regimento de Cavalaria Alferes Tiradentes da Polícia Militar de Minas Gerais volta a funcionar normalmente. Os animais do regimento estavam com suspeita de contaminação por uma bactéria denominada mormo, doença infecto-contagiosa que atinge os equinos.
O Regimento foi suspenso no dia 21 deste mês, e um dia depois, amostras de sangue dos 276 cavalos que compõe o serviço foram enviados à Belém, no Pará, para serem analisados. O resultado chegou à capital nesta sexta- feira (31) e ficou constatado que os animais não estão infectados pela doença.
"O Regimento volta a funcionar normalmente, os cavalos estão sadios e fora de perigo. Vamos retomar as atividades com os equinos que estavam estressados por ficarem parados. Toda a atividade do regimento está normalizada" garante o comandante da Cavalaria, tentente-coronel Mac Dowel.
A suspeita da contaminação foi levantada após a estadia de equinos do Distrito Federal que participaram de uma competição no Espírito Santo, localidade que havia registrado a ocorrência da doença.  Desta forma, veterinários do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) estiveram na unidade e realizaram as vistorias e exames nos animais. Caso fosse confirmada a contaminação, os animais infectados teriam que ser sacrificados.
O TEMPO
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!