Empréstimo de PMs durante a Copa das Confederações desequilibra segurança em Minas

O destacamento de 1.530 policiais militares para a segurança do entorno do Mineirão e da região Central de Belo Horizonte, durante a Copa das Confederações, pode enfraquecer o trabalho de prevenção à violência em outras localidades. De acordo com o governo do Estado, 45% desse efetivo será “emprestado” de companhias e batalhões da própria capital e da região metropolitana.

Para o coordenador da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais (Aspra), subtenente Luiz Gonzaga Ribeiro, a criação do Batalhão Copa reflete a ineficiência no planejamento de grandes eventos no Estado.

“Retirando policiais de outras áreas, o Estado mostra que está simplesmente ignorando a demanda natural da sociedade para atender a um evento específico”, afirma Ribeiro.

Sem férias

O Estado, por sua vez, garante que não haverá prejuízos à segurança. De acordo com o comandante do Batalhão Copa, tenente-coronel Hércules de Paula Freitas, militares do setor administrativo e aqueles que estariam de férias neste mês foram designados a atuar no evento.

“Posso garantir que não haverá desfalque nos batalhões e que o policiamento das regionais será realizado de forma rotineira”, reforça Freitas.

O Batalhão Copa da Polícia Militar é formado por cadetes do curso de formação de oficiais, alunos do curso de formação de sargentos e cabos de unidades da região metropolitana. Os militares irão atuar entre sábado e o dia 30, distribuídos em companhias estratégicas no entorno do Mineirão, nos aeroportos de Confins e da Pampulha, na Praça da Estação, na rodoviária, em estações de metrô e em pontos turísticos.
HD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!