Imagens do Olho Vivo podem ajudar a esclarecer se polícia agiu com truculência

Imagens gravadas pelas câmeras do Olho Vivo e da BHTrans podem ser enviadas para Corregedoria da Polícia Militar de Minas Gerais, com o intuito de identificar possíveis abusos policiais durantes as manifestações na capital. A medida será solicitada ainda nesta semana por integrantes da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, que se reuniram na manhã desta quinta-feira (20).
O encontro, que teve início às 11 horas, ocorreu depois que manifestantes, cerca de 50 pessoas, procuraram na quarta-feira (19) o presidente residente da Comissão, Durval Ângelo, para denúncias.
Os protestantes reclamavam que militares agiram com truculência na última segunda-feira (17) e estariam se infiltrando nos movimentos, além de ameaçar os organizadores. Entre os pedidos que serão feitos pela Comissão, estão o envio de um ofício à Presidência da República solicitando a revisão da decisão do envio da Força Nacional para Belo Horizonte, sob o pretexto que do aumento da repressão.
Outro assunto discutido foi a possibilidade de incluir no programa de proteção à testemunhas, o vice-presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, Gladson Reis. O jovem estaria recebendo ameaças nas rede sociais por sua participação nas manifestações e por denúncias que tem feito à infiltração de policiais no movimento.
HD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!