População se revolta


IPATINGA - Nessa quarta-feira (12) foi solto Wesley Neves dos Santos Silva, vulgo “Timirim”, preso no dia 11 de fevereiro suspeito de envolvimento na morte do cabo Amarildo, executado no dia 8 de fevereiro com nove tiros, no bairro Águas Claras em Santana do Paraíso. 

Timirim foi preso em Raul Soares, sua prisão preventiva foi decretada e estava no presídio de Ponte Nova, mas o prazo de 90 dias para que as testemunhas do caso fossem ouvidas terminou e o seu advogado solicitou um alvará de soltura, expedido pela Vara Criminal da Comarca de Ipatinga.

Timirim negou sua participação no assassinato de Amarildo e disse que estava trabalhando. “Eu não matei ninguém não doutor, como é que eu vou matar uma pessoa sendo que eu tô trabalhando numa empresa que eu bato cartão todo dia doutor, eu tenho mais de cem testemunhas lá dentro da empresa”, declarou o suspeito em entrevista concedida no dia de sua prisão.

Em conversa com nossa reportagem, um policial militar de Ipatinga lembrou que Timirim será julgado, mas não pode mais ficar preso, a não ser que uma nova ordem de prisão preventiva seja expedida. O militar ressaltou que o período em que o suspeito ficar livre "pode resultar em uma fuga".

Cinco detidos

Os suspeitos Bruno Prado Vieira de Assis, Wesley Cândido, o “Caneca” e um adolescente também foram detidos no dia 11 de fevereiro. O suspeito Daniel Wattson Costa foi preso no dia 24 de fevereiro.
Plox

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!