Justiça decreta prisão preventiva de ex-marido suspeito de matar juíza mineira dentro do fórum

TJMT/DIVULGAÇÃO
O Tribunal de Justiça do Mato Grosso (TJMT) decretou neste sábado (8) a prisão preventiva de Evanderly de OIiveira Lima, acusado de matar a ex-mulher, a juíza Glauciane Melo. A magistrada foi executada dentro do Fórum da Comarca de Alto Taquari. O decreto partiu do juiz Pedro Davi Benetti que, após a tragédia, responde pela comarca. A magistrada era mineira de Conselheiro Lafaiete, na região Central do Estado e já foi servidora do Fórum Lafayette, em Belo Horizonte.
Glauciane Chaves de Melo, de 42 anos, foi assassinada a tiros nessa sexta-feira (7). Moradores da pequena cidade, de 8 mil habitantes, estão chocados com o crime. Na decisão, o juiz Pedro Davi Benetti ressalta que existem "indícios suficientes de autoria e materialidade do crime por parte do acusado". Também afirma que a medida é necessária para a manutenção da garantia da ordem pública.
A arma utilizada por Evanderly foi localizada. O revólver calibre 38 foi encontrado no gramado do Fórum, provavelmente jogado pelo autor no momento da fuga. A juíza foi atingida por dois disparos. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, toda a região está cercada para evitar que o acusado fuja. Policiais civis e militares de toda a região foram deslocados para o município de Alto Taquari para auxiliar nas buscas, que conta com o apoio da Força Tática.
O tempo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!