Coronel diz em audiência pública: “tem faltado é pai e mãe na sociedade, pai e mãe responsáveis”.

IPATINGA - Na manhã desta terça-feira (2) foi realizada na Câmara de Ipatinga uma Audiência Pública para debater a política de prevenção ao uso de crack no Vale do Aço.
A reunião foi comandada pelo deputado estadual Vanderlei Miranda, presidente da Comissão de Prevenção e Combate ao Uso de Crack e Outras Drogas da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) e contou com as presenças do deputado estadual Dinis Pinheiro, presidente da ALMG, da deputada estadual Rosângela Reis, autora do requerimento da audiência, e do deputado estadual Carlos Mosconi.Diversas lideranças políticas estaduais e de municípios vizinhos participaram da discussão. O coronel Jordão Bueno, comandante da 12ª Região, o tenente-coronel Edvânio Rosa Carneiro, comandante do 14º Batalhão, representantes dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, de entidades e comunitárias também participaram da audiência.
O deputado Vanderlei iniciou a reunião agradecendo a presença de todos e ressaltando a importância do evento; em seguida passou a palavra para Dinis Pinheiro, que destacou que os problemas sociais tem que ser discutidos e enfrentados. “Nós não podemos fechar os olhos à essa dura realidade”, declarou Dinis.
Rosângela Reis frisou que o debate vai trazer informações que irão gerar leis que poderão dar condições para que a ALMG contribua com as políticas públicas sociais. A deputada lembrou que o país tem um Plano que norteia a política de combate às drogas, “mas ainda é preciso avançar”!
Carlos Mosconi disse que a Prevenção e o Combate às drogas é um dos temas mais preocupantes atualmente. Ele acredita que a Prevenção “deixa de usar instrumentos que poderiam ser usados com mais eficiência ou de uma forma muito mais efetiva”.
O promotor de Justiça da 2ª Vara Criminal de Ipatinga, Bruno Schiavo, salientou que é alto o número de pessoas envolvidas com o uso de drogas e a prática de crimes. “Nós tivemos um abrandamento significativo da punição ao usuário de narcóticos, acho que talvez chegou a hora de repensarmos esse sistema, que ao meu sentido, não tem dado certo. Claro que nós não podemos negligenciar que o usuário muitas vezes é um doente, mas também nós precisamos contar com um sistema de justiça mais coerente de forma que nós possamos também punir o usuário”, disse Bruno.

O coronel Bueno acredita que “muitas das questões poderiam ser resolvidas dentro de casa”. Ele falou sobre crianças e adolescentes “fora de hora” nas ruas e foi aplaudido ao declarar que “tem faltado é pai e mãe na sociedade, pai e mãe responsáveis”. 
PLOX

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!