Direitos Humanos dos policiais militares

O deputado afirmou, ainda, apoiar as manifestações pacíficas, porém ponderou que “A Polícia Militar tem um dever constitucional, que é a manutenção da ordem pública, a garantia de ir e vir do cidadão, da livre manifestação, a integridade física e a vida das pessoas, mas a Polícia Militar também está sofrendo com essas ações. O Coronel Carvalho levou uma pedrada na perna esquerda e outra na virilha. Vários policiais estão saindo feridos. Nós já temos 19 policiais feridos e dois foram baleados”. 
Neste sentido, Rodrigues entregou para José Antônio Baeta cópia dos três requerimentos aprovados na Comissão de Direitos Humanos, um endereçado à Ordem dos Advogados do Brasil, outro oficiando a Promotoria de Direitos Humanos da Capital e a Comissão de Direitos Humanos da ALMG. 
Rodrigues pediu, ainda, que a Promotoria de Direitos Humanos também se coloque como guardiã, segundo ele, como fiscal da lei, cabe ao Ministério Público o resguardo desses servidores que estão cumprindo sua missão. “Se o soldado receber uma ordem e não cumprir, ele é preso em flagrante por desobediência em crime militar e são os únicos que podem ser presos nessa modalidade de crimes próprios”, afirmou.
O DEPUTADO ALERTA A TODOS OS POLICIAIS PARA QUE DENUNCIEM TODA E QUALQUER FORMA DE VIOLÊNCIA QUE VENHAM SOFRER DURANTE O EXERCÍCIO DE SUA ATIVIDADE ATRAVÉS DOS TELEFONES DO PLANTÃO DO MPMG 3330-8312 ou 7302-8586. E QUE TAMBÉM ESTARÁ DE PRONTIDÃO, ACOMPANHADO DOS ADVOGADOS DE SEU GABINETE POR TODO O DIA 26 PARA ATENDER E DEFENDER OS COMPANHEIROS POLICIAIS MILITARES.
SGT RODRIGUES

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!