Caso " Matador da moto verde". Cabo Victor pode ser solto a qualquer momento

IPATINGA – O cabo da Polícia Militar Victor Emmanuel Miranda de Andrade poderá ser posto em liberdade ainda nesta quarta-feira (14). Isto porque a 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) irá julgar o pedido de Habeas Corpus impetrado pela defesa do militar em segunda instância. Atualmente o policial está detido preventivamente em um quartel da PM em Belo Horizonte, acusado de um homicídio ocorrido em 2011. Caso o parecer dos desembargadores seja favorável ao Habeas Corpus, o Cabo Victor sai ainda hoje do quartel e responde ao processo em liberdade.

Três desembargadores irão julgar o pedido de Habeas Corpus de Victor, sendo eles o juiz Jayme Silvestre Corrêa Camargo, Edison Feital Leite e Eduardo Brum. Estes dois últimos também foram relatores de outros recursos demandados no caso do PM.
Segundo informações da assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça da capital mineira, se o acusado enviar um advogado para realização de uma sustentação oral, o julgamento pode até ser adiantado para parte da manhã e entrar na pauta, às 9h.
ENTENDA
Victor Emmanuel foi preso no dia 25 de abril passado por meio de um mandado de prisão expedido pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Ipatinga. Investigações do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Belo Horizonte apontaram que o Cabo é autor intelectual e mandante do assassinato de Cleidson Mendes do Nascimento, o “Cabeça”, de 26 anos. Ele foi assassinado a tiros em setembro de 2011 no bairro Canaãzinho.

Conforme as investigações, o rapaz foi testemunha essencial nos autos do processo criminal contra o Cabo Victor no inquérito da morte do comerciante Ricardo de Souza Garito, assassinado a tiros em 2007, também no bairro Canaãzinho. No homicídio do comerciante, o militar foi apontado como sendo o autor dos tiros, enquanto outro policial foi o mandante, pois estava indignado com o fato de Ricardo ter se envolvido com sua ex-mulher. Ricardo foi executado com três tiros na cabeça e um no pescoço.

O militar Victor Emmanuel ainda foi por diversas vezes apontando como sendo o responsável por crimes de execução, que ocorreram em Ipatinga, principalmente entre os anos de 2007 e 2008. Os assassinatos, atribuídos a Victor, tinham como principal característica o “mudus operandi”. Em todas as execuções, o suspeito estava em uma moto verde, e as vítimas eram pessoas envolvidas com a criminalidade.

Para alguns moradores da região, o 'motoqueiro da moto verde', como ficou conhecido o homem que matava em toda a região do Vale do Aço, ganhou o codinome de justiceiro, pois seu alvo principal eram os possíveis bandidos, que atuavam na região. Por causa da série de acusações Victor Emmanuel deixou de trabalhar no 14º BPM no início de 2009, quando foi mandado para o 8º Batalhão de PM, em Lavras, para onde deverá retornar caso seja solto hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!