Jovens de classe média alta traficavam ecstasy em festas de música eletrônica em Araguari

A Polícia Civil de Araguari, no Triângulo Mineiro, procura por dois jovens de classe média alta, suspeitos de comandar uma quadrilha que vendia drogas sintéticas em festas da região. Antonio Dornelas e Guilherme Augusto, que não tiveram as idades reveladas, estão foragidos desde o último dia 9, quando outros dez integrantes do bando foram presos. 
 
 
Nesta segunda-feira (26), a corporação divulgou imagens dos suspeitos esbanjando dinheiro conseguido com o tráfico. Eles aparecem em helicópteros e carros de luxo, bebendo champanhe e usando lança-perfume, ostentando relógios, óculos e joias caros.
 
Segundo o delegado Fernando Storti, a maioria dos integrantes têm entre 20 e 30 anos e boa condição social. A droga, em sua maioria ecstasy, era vendida em festas de música eletrônica. 
 
O esquema era sofisticado. Durante as investigações, que começaram há quatro meses e após uma denúncia anônima, os policiais chegaram a frequentar festas da cidade. Eles monitoraram o comportamento dos suspeitos e descobriram sinais usados para a comunicação. “Vimos um dos criminosos sendo cumprimentado pela mesma pessoa várias vezes. Depois, o indivíduo colocava a mão no bolso e na boca”.
 
A partir do monitoramento de ligações de suspeitos, os investigadores chegaram a três criminosos, que revelaram o paradeiro dos outros envolvidos. Apesar das prisões já realizadas, a investigação não foi concluída. O delegado informou que não descarta novos pedidos de prisão.
o tempo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!