Bombeiros concluem inquérito sobre morte de sargento em incêndio

Foi encerrado o inquérito que investigava a morte da sargento do Corpo de Bombeiros,Fernanda Oliveira, de 33 anos. Ela morreu durante o combate a um incêndio no dia 18 de julho deste ano, em um prédio de luxo na Savassi, região centro-sul de Belo Horizonte. Em nota, a corporação informou que o caso foi concluído dentro do prazo legal e encaminhado à Corregedoria. As investigações foram feitas internamente e o inquérito será enviado para a Justiça Mi
litar. O conteúdo da documentação não foi revelado.
O fogo teria sido provocado por um curto-circuito no ar condicionado que ficava em um dos quartos do apartamento 802. Uma adolescente e uma funcionária, que estavam na sala, chamaram o Corpo de Bombeiros ao perceberem uma fumaça densa. As chamas atingiram o apartamento de cima, mas foi controlado pelos militares.
Fernanda foi encontrada morta em um dos elevadores quando a entrada foi liberada para os moradores. A perícia investigou as causas da morte, já que os próprios bombeiros orientam a não entrar em elevadores durante incêndios, mas as apurações ainda não foram divulgadas.
Heroína
A militar foi enterrada com homenagens de parentes e amigos, além de honrarias militares. Durante o sepultamento, bombeiros dispararam 21 tiros e fizeram o toque com corneta. O pai da vítima, Gladson Vicente da Silva, afirma que salvar vidas sempre esteve "na veia" de Fernanda.

— Ela trabalhou no administrativo, nao quis ficar, porque cair salvar vidas. E aconteceu essa fatalidade com ela. Não tem explicação. Pra mim era uma heroína.