PM atropelado e arrastado por 50m tem morte cerebral

policial militar de 29 anos atropelado nesta segunda-feira (16) próximo ao viaduto da Rua Castro Alves Morreu teve morte cerebral decretada na manhã desta terça-feira (17) em Divinópolis. Ele teve traumatismo craniano, fratura na bacia e escoriações. Segundo informações do Hospital Santa Mônica, a vítima passou por uma descompressão no cérebro e cirurgia na cabeça, em seguida foi para o Centro de Terapia Intensiva (CTI), mas não resistiu e teve morte cerebral.
De acordo com a PM, a vítima teve morte cerebral decretada por volta das 8h.

O suspeito de ter atropelado o policial, de 24 anos, fugiu do local sem prestar socorro, mas foi preso durante a tarde desta segunda-feira. De acordo com a Polícia Militar, o motorista não respeitou o sinal de parada durante uma blitz e jogou o veículo para cima do policial. A vítima foi arrastada por cerca de 50 metros. O Corpo de Bombeiros esteve no local para realizar o resgate.
O próprio motorista foi quem acabou se entregando à PM. Ele ligou para os policiais para relatar um roubo e entrou várias vezes em contradição. Os militares desconfiaram da história e o jovem acabou confessando ser o autor do atropelamento.
O proprietário do veículo, de 21 anos, tem 17 passagens pela polícia, a maioria por infrações e crimes de trânsito, além de ameaça e lesão corporal. Atualmente ele cumpre pena em regime semiaberto. O veículo apreendido, o motorista e o proprietário do carro foram encaminhados à delegacia.Segundo a PM, o jovem tem passagem pela polícia por crime de ameaça. Ele já foi preso em flagrante por tentativa de homicídio, omissão de socorro e desobediência.
G1