Crime brutal em Ipatinga, assassino disse "tirei as tripa dele pra fora, torturei ele até ele morrer"

“Dei machadada na cabeça dele, arranquei a orelha dele fora, itei as tripa dele pra fora”. Com essas palavras um assaltante confessou ter matado o comerciante e contou detalhes da barbaridade ocorrida nesse fim de semana em Ipatinga.
IPATINGA –  A Polícia Militar de Ipatinga prendeu na noite desse sábado (19), três pessoas apontadas de terem planejado e executado um crime bárbaro que chocou a cidade. O comerciante Munir Augusto da Silva, de 50 anos, foi encontrado morto dentro de seu estabelecimento comercial, denominado São Jose Ferramentas, localizado na Avenida Selim José de Sales. O crime teria ocorrido
por volta das 18h.
Ele era separado e estaria morando no próprio local de trabalho.


assaltoMizael contou detalhes de como torturou o comerciante até ele morrer

O corpo de Munir foi descoberto por familiares, por volta de 18h30, que perceberam que o cadeado do estabelecimento não estava trancado. O corpo se encontrava totalmente dilacerado, inclusive com vísceras para fora do tórax.
Mizael Pereira de Souza, 22 anos, confessou para Polícia e depois confirmou em entrevista que torturou e matou o comerciante. Ele e os outros participantes da barbárie foram presos no Parque Ipanema, onde foram com outros fumar maconha após matarem o comerciante.
O rapaz contou de forma fria que Munir demorou a morrer e ele continuou dando machadadas em sua cabeça até matar “porque não deu dinheiro e não passou a senha do banco”. Ele confessou também ser usuário de drogas e disse que esse é seu quarto homicídio.

crimeSegundo os colegas, esse menor segurou o comerciante enquanto ele era assassinado

Segundo a polícia e confissões dos envolvidos, além de Mizael, participaram Shirely Luisa da Silva, 22 anos, e um garoto, de 17 anos, que teria um caso amoroso com o comerciante.
assaltoShirley disse que enquanto o comerciante era assassinado ela vasculhava os pertences dele
A mulher também contou detalhes de como organizaram o assalto e como agiram desde o planejamento até o assassinato cruel do comerciante. Segundo Shirley, o que motivou o assalto foi o fato de estar desempregada e “desesperada”. A Polícia encontrou cocaína e partes dos objetos roubados na casa dela. Ela afirma ser namorada do menor, de 17 anos.
Policia MilitarSargento Pereira, da Polícia Militar

crimesAlgumas ferramentas usadas para matar o comerciante foram deixadas no chão
Um celular foi levado, assim como também o veículo Ford Fiesta, placas JPT-8421, que foi encontrado abandonado em uma rua de Ipatinga.


Munir era de uma tradicional família de comerciantes. O irmão dele é proprietário da Casa São José, no bairro Veneza II. O primo dele, Wander Luis, é presidente da Federação das Associações Comerciais de Minas Gerais (Federaminas). Wander esteve no local do crime. Em nota, publicada em sua página pessoal, neste domingo, ele lamentou a morte do familiar: "Final de semana triste,assassinaram meu primo Munir em Ipatinga, com crueldade. Meu pai, Nelcy e o Tio Inho  vieram, ainda jovens, para Ipatinga em 1949. Trabalharam juntos, casaram na mesma época, construiram uma familia linda, foram vizinhos e empresários de sucesso. Que Deus abençoe e conforte nossos familiares", conclui Wander.
crime
Munir foi morto por golpes de machado. Seu corpo foi encontrado coberto por um lençol, no quarto onde dormia.
Ipatinga

Os três indivíduos detidos foram encaminhados para a delegacia de Polícia Civil.
PLOX