Filho de delegado é preso após roubar carro e pai afirma que ele deveria ter morrido


AJL085.jpgO filho de um delegado foi preso após participar do roubo de um veículo no bairro Ipiranga, na região Nordeste de Belo Horizonte, na manhã desta terça-feira (8). O comparsa dele foi baleado.

De acordo com a Polícia Militar, o dono de um pet shop foi abordado junto com a companheira e a filha de 8 anos quando chegava para trabalhar, na rua José Clemente Pere
ira. A dupla, que estava armada, levou as vítimas para dentro do estabelecimento comercial.
“Eles disseram que só queriam pegar o carro para cometer outra assalto”, explicou o comerciante Jucimar da Cunha Assis.
Os suspeitos fugiram levando R$ 600 em dinheiro, cheques e dois celulares. Uma pessoa que passava pela rua e percebeu a movimentação estranha no local acionou a polícia.
Militares do 16º Batalhão começaram uma perseguição e, já no bairro Sagrada Família, Guilherme Fernando dos Santos Soares, de 24 anos, e Jefferson Jorge dos Santos, de 22, conhecido pelo apelido de “Minicraque”, entraram em dois prédios residenciais.
Soares usou a ponta de uma mangueira para fingir que estava armado, mas foi pego pelos policiais. Minicraque estava com uma pistola 635 e chegou a apontar a arma para o policial, que atirou primeiro. O tiro acertou a barriga do assaltante que foi socorrido e encaminhado ao Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. Seu estado de saúde não foi divulgado. O assaltante já possui antecedentes criminais por porte ilegal de arma, receptação, roubo e tráfico.
O filho do delegado, que já tem passagens por receptação, fraude em concurso público, crimes de trânsito e ameaça, foi encaminhado para a Central de Flagrantes (Ceflan), do bairro Floresta, na região Leste da capital.
A reportagem de O TEMPO entrou em contato com o pai de Soares, o delegado da regional Barreiro Roberto Soares de Souza. Ele disse que o bandido é fruto de uma aventura amorosa e não pretende ajudá-lo.

“É isso mesmo. Sou delegado e meu filho é marginal. Meu sentimento maior é que ele tivesse morrido. Tive responsabilidade com ele até os 18 anos, agora, não tenho mais contato”, finalizou o delegado.