Sargento que matou namorado a tiros é condenada pela Justiça Militar

A ex-policial militar Andréia Ferreira, acusada de matar o namorado, Jerônimo Barros, que também integrava a corporação, foi condenada a 14 anos de prisão. Ela foi julgada pela Justiça Militar de Minas Gerais nesta segunda-feira (30), em Belo Horizonte. O crime ocorreu dentro de uma churrascaria da capital, em outubro de 2010.
A sargento foi condenada peloa Conselho Permanente de Justiça por unanimidade de votos. Os detalhes da condenação serão divulgados por meio de sentença, que deve ser publicada em até oito dias.
Andréia brigou com o namorado, que era sargento, e atirou várias vezes contra ele dentro do restaurante, que funcionava em um posto de combustíveis. Os dois estavam de folga e em trajes civis.
A acusada foi excluída disciplinarmente da Polícia Militar em março deste ano, após processo administrativo, e estava aguardando julgamento pelo crime de homicídio.
A mulher alegou que atirou em legítima defesa, mas um vídeo recebido pela família da vítima mudou a situação.
A filmagem mostra a discussão do casal, que acaba em agressão por parte do sargento. Andréia sai da churrascaria e vai até o carro dela, de onde retirou um objeto e riscou o veículo do namorado. Cerca de dez minutos depois, a militar volta para o restaurante, saca o revólver e atira várias vezes à queima roupa contra o namorado. Barros, pego de surpresa, ainda tenta se esconder, mas não resiste e morre.
O trecho mostra também que os policiais estavam acompanhados de um amigo, que permanece tranquilo e até bebe um gole de cerveja durante o tiroteio. Em seguida, o homem deixa o local sem prestar ajuda ao sargento, que fica caído no chão.
HD/Blog do Esteves