Bombeiros de Minas se mobilizam e tentam transplante para capitão com leucemia


Impulsionados pela tentativa de conseguir transplante de medula óssea para um capitão com leucemia, o comando do batalhão mobilizou seus militares a fazer testes de compatibilidade.
A ideia foi abraçada pelo Hemocentro de Uberaba, que firmou parceria com os bombeiros.
Os primeiros testes foram realizados no próprio batalhão, no último dia 18. De acordo com o tenente Fabrício Eduardo Dalfior, a mobilização foi primeiramente divulgada de forma interna e, depois, nas redes sociais por colegas do capitão Renato Lúcio de Aguiar Tiradentes, de 38 anos. Ele foi diagnosticado com leucemia em junho deste ano. No entanto, como muitas pessoas literalmente “curtiram” a iniciativa, surgiu a ideia de compartilhá-la em todo o Estado.

— Foi mandada mensagem post para o pelotão de Belo Horizonte, que a passou para todos os outros batalhões. 

A doença

O capitão Tiradentes descobriu que estava com leucemia após achar que estava ficando muito cansado durante a física e ter notado inchaço nas pernas. Preocupado, ele procurou a mãe, Sônia Silvério de Aguiar, de 62 anos, e foi orientado por ela a ir ao médico.

— Já no dia da consulta ele foi internado e, dias depois, transferido para Uberlândia, onde fez todos os exames necessários e foi confirmado que ele está com leucemia.

Conforme a mãe do capitão, Renato está bem e muito confiante que vai conseguir o transplante. Já em relação à campanha que os colegas de trabalho dele criaram, Sônia contou que o bombeiro ficou muito feliz com a iniciativa que, para ele, também pode servir de ajuda para muitas outras pessoas com leucemia.

— Apesar de doente, ele está alegre e muito confiante. Acreditamos que vamos sair dessa.

Renato faz quimioterapia e já perdeu os cabelos. Entretanto, Sônia garante que o severo tratamento e a perda dos fios não desaminou o filho.

— Ele está bem. Está andando, conversando. Se você olhar para ele, nem percebe que está doente, a não ser pela falta de cabelo
Solidariedade

Além de passarem por testes de compatibilidade de médula óssea, alguns colegas de trabalho do capitão Renato rasparam a cabeça durante a realização de curso de combate a incêndio urbano. Em seguida, todos se reuniram na sala de aula, escreveram "Força Cap Renato" no quadro e tiraram uma foto. A imagem foi divulgada por todos nas redes sociais e emocionou muitos internautas.
Resultado

Ieda Alves de Souza, responsável pelo setor de capitação e cadastro do Hemocentro de Uberaba, informou à reportagem do R7 que, só no dia em que os agentes de saúde foram ao 8º Batalhão dos Bombeiros da cidade, houve registro de 74 cadastros de candidatos ao transplante de medula óssea. Por enquanto, nenhum doador foi achado para Renato, que segue em tratamento na Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deixados no site são de inteira responsabilidade de quem escreve e as publica. Isentando assim de responsabilidade o autor/editor do site. Portanto, tenha responsabilidade com seu comentário!