Policial que atirou em professora é indiciado por homicídio culposo

Um policial militar de Uberaba, no Triângulo Mineiro, foi indiciado por homicídio culposo por ser o autor do disparo que matou a professora Natálya Dayrell de Carvalho, de 38 anos. A morte ocorreu no dia 1º de outubro após ela ser atingida durante uma troca de tiros entre o policial, que estava à paisana, e assaltantes.
 
Conforme a Polícia Civil, o militar ainda presta serviços à corporação e deve responder o processo em liberdade. Já os ladrões envolvidos no caso estão presos temporariamente por roubo a estabelecimentos. CONTINUA...
 
O crime 
 
Armados, dois criminosos entraram no bar e anunciaram o assalto. Eles recolheram vários pertences dos clientes, dentre eles, Natálya e um biólogo, de 25 anos. 
 
Após o roubo, a dupla correu, mas Natálya e o biólogo também correram e se esconderam atrás de um veículo estacionado perto do estabelecimento. No entanto, o assaltantes, que neste momento eram perseguidos pelo policial, foram na mesma direção.
 
Testemunhas contaram que o militar deu ordem de parada e começou uma troca de tiros. A professora teria corrido novamente e foi baleada no ombro. O biólogo não ficou ferido.
 
Natálya chegou a ser socorrida e encaminhada para Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A bala, segundo os médicos, teria atingido coração da professora. 
HD