Polícias Militar e Civil do Brasil matam cinco por dia

De um lado, polícias com taxas de letalidade elevadas, bem acima dos casos praticados por corporações de outros países. Em 2012, morreram 1.890 pessoas em confrontos com policiais militares e civis no Brasil, o que representa uma média de 5 pessoas por dia. As polícias dos Estados Unidos mataram 410 pessoas e as do Reino Unido, 15.

De outro lado, a confiança da população brasileira nas polícias está baixa e o descrédito entre os brasileiros é bem maior do que o da população de outros países. No Brasil, este ano, 70,1% da população afirmou não confiar das polícias. Nos Estados Unidos, os números são de 12%, enquanto no Reino Unido, 82% afirmam confiar em suas forças de segurança.


Os dados, divulgados ontem, 5, no Anuário Brasileiro de Segurança Pública, produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), levaram os pesquisadores de segurança a apontarem os dados como uma clara fotografia da "falência do sistema de segurança brasileiro". "A ideia de falência é revelada pelos dados de maneira explícita. O atual modelo de atuação das polícias é pouco operacional, moroso, as prisões são superlotadas. Governos precisam enfrentar o problema urgentemente", defendeu o sociólogo Luis Flávio Sapori, ex-secretário adjunto de segurança de Minas Gerais e coordenador do curso de Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de Minas (PUC-Minas).

Em relação à letalidade policia, os números provavelmente são mais altos do que os divulgados. Só oito das 27 unidades da federação mandaram dados considerados de alta qualidade. "Ao praticar abusos e lançar mão do extermínio, os próprios PMs agem dessa maneira por não acreditarem na eficiência da segurança pública. Eles matam, segundo me explicaram, porque acreditam que dessa forma estão fazendo justiça, que não é feita via instituições", disse Adilson Paes de Souza, tenente-coronel da PM e mestre em Direitos Humanos.

A violência de criminosos no Brasil, que justificaria os excessos policiais, não é destaque quando comparado à de outros países. No México, onde casos de resistência seguidos de morte mais se aproximam do Brasil (1.652), houve 740 policiais mortos em serviço. No Brasil, foram 89 em 2012. Fica abaixo da polícia americana que, apesar de ser menos violenta, perde mais policiais no serviço (95).

Mulheres

Ao comentar o anuário pelo Twitter, a presidente Dilma Rousseff classificou nesta terça-feira como "alarmantes" os mais de 50 mil casos de estupros registrados no Brasil no ano passado. Segundo a presidente, o crescimento de 18% no ano passado é resultado da maior notificação por causa da criação do telefone 180, que orienta vítimas de violência sexual. "Um grande passo foi dado com a Lei Maria da Penha, que tornou crime a agressão contra a mulher", escreveu.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.